Produtividade no trabalho e saúde mental: entenda a relação e como aumentar!

Dicas práticas para medir e melhorar o rendimento da equipe.
produtividade-no-trabalho
Mais terapias de Rodrigo Roncaglio
5/5 - (2 votos)

Como a saúde mental pode interferir na produtividade no trabalho dos colaboradores?

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC) revelou em pesquisa que a saúde mental no trabalho afeta diretamente a produtividade e desempenho dos colaboradores, seja negativa ou positivamente.

A OMS estima que os transtornos depressivos e de ansiedade custam US$ 1 trilhão à economia global a cada ano em perda de produtividade.

Sendo que a ansiedade atinge cerca de 19 milhões de brasileiros e a depressão 11,5 milhões, afetando a execução de atividades diárias.

Pensando nisso, escrevi este artigo para trazer ações de como aumentar, de forma saudável, a produtividade no trabalho e dicas do que fazer.

Sou Rodrigo Roncaglio, CEO do Guia da Alma – a solução completa para a Saúde Mental no trabalho. Boa leitura!


O que é produtividade no trabalho? Desmistificando o conceito

O que é produtividade no trabalho? Desmistificando o conceito

Foto: drobotdean – Freepik

Segundo a OIT (Organização Internacional do Trabalho), produtividade é o correspondente:

“à eficiência com que os recursos são usados; pode ser medido em termos de todos os fatores de produção combinados (produtividade total dos fatores) ou em termos de produtividade do trabalho, definida como produto ou valor agregado dividido pela quantidade de trabalho utilizada para gerar esse produto”.

O conceito de produtividade nas empresas está atrelado, portanto, à qualidade na execução das atividades, e não à quantidade de atividades realizadas.

A excelência na execução das demandas é o aspecto central da questão! E  para que os colaboradores produzam de maneira eficaz é preciso humanizar esse processo e entender que existem necessidades a serem cumpridas para que o trabalho evolua de maneira saudável.

As pausas no trabalho, por exemplo, são extremamente importantes, inclusive no trabalho híbrido ou remoto.

Segundo relatório do Instituto de Pesquisa do Exército dos Estados Unidos, o cérebro humano consegue manter a produtividade por, no máximo, 90 minutos, e então deve-se realizar uma pausa para reter as informações adquiridas.

Além disso, a Universidade da Califórnia revelou, em pesquisa, que um funcionário feliz é 31% mais produtivo, podendo vender até 37% mais.

Os dados não mentem: o trabalho precisa estar devidamente alinhado com a saúde mental para que haja uma alta taxa de produtividade.

Os 4 tipos de produtividade no trabalho

Os 4 tipos de produtividade no trabalho

Foto: standret – Freepik

O estudo “Health, wellbeing and productivity in the workplace” afirma que, para que haja uma alta produtividade no trabalho, os colaboradores devem ter uma relação saudável com as seguintes categorias:

  • Local de trabalho (ambiente de trabalho, demandas, relações e atitudes da empresa sobre saúde e bem-estar);
  • Fatores pessoais (estilo de vida e saúde mental);
  • Aspectos físicos (atividade física, controle do colesterol etc).

Tendo isso como base, podemos entender um pouco melhor a pesquisa da coach e escritora Carson Tate, que afirma existirem quatro grupos de produtividade, onde cada pessoa pertencente a esse grupo trabalha e produz de uma maneira específica, baseando-se em suas características pessoais. São eles:

  1. Prioritários: mais analíticos;
  2. Planejados: organizados e sequenciais;
  3. Colaborativos: expressivos e dão suporte aos outros membros da equipe;
  4. Visuais: holísticos e intuitivos.

Segundo a escritora:

“O primeiro passo para tornar sua produtividade pessoal é identificar seu estilo, para que você possa trabalhar em sincronia com suas inclinações naturais. Cada um tem suas próprias forças e ferramentas preferidas baseadas nesses poderes.”

Não apenas para os colaboradores, mas principalmente para os líderes e gestores, o conhecimento sobre o tipo de perfil de seus funcionários é fundamental para traçar ações que beneficiem todos de maneira coletiva e individual.

Muitas vezes, um colaborador que tem muito potencial, pode estar trabalhando de uma maneira que não estimule sua produtividade de forma eficaz. Então, como valorizar a pluralidade da equipe?

Traçar os perfis dos funcionários pode ser eficaz para criar modelos de trabalho, cargos e demandas que sejam mais adequadas para cada tipo de pessoa.

Um ambiente de trabalho que busque auxiliar seus colaboradores com programas de bem-estar, saúde mental e atividades físicas ajuda diretamente no bem-estar coletivo.

Como medir produtividade no trabalho? Cálculo

Como medir produtividade no trabalho? Cálculo

Foto: Freepik

Existe uma fórmula simples que calcula a produtividade em horas:

  • Índice de produtividade = número de tarefas realizadas / horas trabalhadas no período.

Deve-se levar em consideração, portanto, o tipo e a qualidade do serviço que está sendo analisado.

De maneira geral, para traçar um perfil sobre a produtividade na empresa é preciso entender:

  • Quem são os seus clientes;
  • O tipo de produto ou serviço prestado (complexidade, tempo médio de execução e outros fatores);
  • Quais são os diferenciais competitivos (o que é válido e esperado nos produtos ou serviços prestados?);
  • Como está o alinhamento e andamento das metas e OKRs estabelecidos;
  • Analise a relação entre as duas grandezas (o recurso que entra e o resultado que sai);
  • Estude em qual parte do processo isso pode ser medido.

Além disso, os líderes e gestores podem executar testes com alguma periodicidade entre os seus colaboradores, como um formulário que pode ser respondido de maneira anônima para colher os indicadores de produtividade no trabalho, já que eles são a peça fundamental para fazer a empresa ter bons resultados.

Nesse formulário pode ser possível entender quais são as necessidades dos seus funcionários e o que a instituição pode fazer para elevar as condições de trabalho da equipe, se os colaboradores estão sobrecarregados, motivados, dentre outros pontos.

Sinais da baixa produtividade no ambiente de trabalho

Sinais da baixa produtividade no ambiente de trabalho

Reforço a ideia de estar em constante diálogo e monitoramento dos colaboradores.

As pessoas que apresentam sinais de baixa produtividade no ambiente de trabalho podem estar passando por problemas relacionados à saúde mental ou alguma questão de ordem pessoal, podendo apresentar sintomas, como:

  • Dificuldade de concentração;
  • Irritabilidade;
  • Fadiga e insônia;
  • Absenteísmo de reuniões;
  • Demora na entrega e execução de demandas;
  • Falta de engajamento no trabalho;
  • Pessimismo;
  • Entre outros.

Alguns efeitos dessa queda na produtividade, para a empresa, podem ser:

  • Aumento dos casos de afastamento profissional (índice de turnover);
  • Falta de criatividade dos colaboradores diante de desafios;
  • Piora no clima e cultura organizacional;
  • Desinteresse nas atividades realizadas pela empresa;
  • Queda na qualidade e produtividade no trabalho;
  • Entre outros.

O que pode impedir ou diminuir a produtividade no trabalho?

O que pode impedir ou diminuir a produtividade no trabalho?

Não há segredo. O aspecto fundamental para garantir uma alta produtividade é o equilíbrio entre saúde mental e saúde emocional, alinhado com os parâmetros desejados pelos funcionários para conseguir manter o foco e produtividade no trabalho.

A OMS (Organização Mundial de Saúde) redigiu uma recomendação sobre as práticas de saúde mental nas empresas, afirmando que:

  • Iniciativas para promover a apoiar os transtornos mentais dos colaboradores melhoram a saúde e aumentam a produtividade dos funcionários;
  • Um ambiente de trabalho negativo pode levar a problemas de saúde física e mental, como uso nocivo de substâncias e álcool, absenteísmo e perda de produtividade no trabalho;
  • Um lugar de trabalho que não atende as expectativas dos funcionários pode desencadear patologias como estresse crônico, dermatite, problemas gastrointestinais, queda de cabelo, desequilíbrios hormonais etc.

Ou seja: é preciso manter a comunicação constante com a equipe de colaboradores, procurando atender às necessidades coletivas e individuais de cada um, para que haja um aumento na produtividade e, consequentemente, qualidade de vida no trabalho em equipe.

Além de foco específico em programas de saúde mental e bem-estar, para que cada funcionário possa ser atendido em seus problemas, seja de maneira presencial ou remota.

A ausência de cuidado da gestão com a saúde mental e emocional dos colaboradores interfere diretamente no bem-estar de cada um, podendo impedir ou diminuir a produtividade no trabalho.

A relação de saúde mental e improdutividade no trabalho

A relação de saúde mental e produtividade no trabalho

Foto: Freepik

Vamos falar sobre saúde mental?

A pesquisa sobre produtividade no trabalho “Mental Health and Productivity at Work: Does What You Do Matter?” afirma que, a qualquer momento, um em cada cinco adultos tenha algum problema de saúde mental, com taxa de prevalência ao longo da vida de até 50%.

Segundo o estudo:

“Os problemas de saúde mental afetam diretamente os empregadores e as empresas por meio do aumento do absenteísmo, impacto negativo na produtividade e nos lucros, além de um aumento nos custos para lidar com o problema. (…) Além disso, eles afetam negativamente o moral dos funcionários.”

Falando em absenteísmo: as taxas de ausência são quase 5% mais altas entre os colaboradores que possuem problemas relacionados à saúde mental.

Além disso, segundo a Mental Health Foundation, a adoção de políticas que investem no bem-estar no trabalho, como apoio terapêutico, aumentam a produtividade dos funcionários em até 12%.

A quantidade de pessoas que relatam sofrerem de algum problema ligado à saúde mental é alarmante; dados que se escancararam e tornaram-se mais evidentes após a pandemia de coronavírus.

De acordo com o estudo “Working Well”, 80% profissionais que relataram sofrer de depressão afirmam que a doença afeta diretamente no comprometimento funcional, o que as faz trabalhar de maneira automática, com menos comprometimento e esforço.

Trazendo mais dados: a pesquisa da Mind Share Partners, SAP e Qualtrics relatou que mais de 60% das pessoas admitem que a produtividade no trabalho foi prejudicada por questões relacionadas à saúde mental.

Está claro, portanto, que a saúde mental está diretamente conectada à produtividade no trabalho.

E como fazer para aumentar a produtividade dos colaboradores, tendo esses dados em mente? Veja as dicas a seguir!

Dicas de como aumentar a produtividade no trabalho: como melhorar com a saúde mental?

Dicas de como aumentar a produtividade no trabalho: como melhorar com a saúde mental?

Foto: wayhomestudio – Freepik

Vamos ver algumas dicas de como aumentar o índice de produtividade na empresa, seja no presencial ou home office?

Criar programas de bem-estar e saúde mental

Criar programas de bem-estar e saúde mental

É preciso que as empresas invistam em programas de bem-estar e saúde mental.

A OMS (Organização Mundial de Saúde) relatou que: para cada dólar investido em saúde mental há um retorno de quatro dólares em melhorias da saúde e produtividade. Além disso:

“Empregadores e gestores que adotam iniciativas para a promoção da saúde mental no local de trabalho e apoiam funcionários que têm transtornos mentais veem ganhos não apenas na saúde de seus funcionários, mas também em sua produtividade.”

Reforçando esse ponto: segundo a pesquisa “Tendências Globais de Capital Humano”, 61% das empresas afirmaram que programas de bem-estar aumentam a produtividade e os resultados financeiros das instituições.

Investir no conforto e produtividade no trabalho home office

Investir no conforto e produtividade no trabalho home office

Algumas dicas que podem ser reforçadas para os funcionários são:

  1. Recomende as pausas durante o expediente. Você pode sugerir a técnica de Pomodoro para que os funcionários possam ser mais produtivos sem afetar a sua saúde mental: essa técnica permite que haja atenção total durante uma atividade por 25 minutos com uma pausa posterior de 5 minutos. Após duas horas deve-se realizar uma pausa de 15 e 30 minutos. As pausas devem acontecer pelo menos três vezes durante uma jornada de trabalho de 8 horas, ou seja, a cada 1h30 ou quando sentir necessidade, com duração de 10 a 15 minutos.
  2. Peça para que eles saiam de casa pelo menos uma vez ao dia. Na rotina do trabalho à distância, muitas vezes optamos pelo sedentarismo. Isso significa passar a semana inteira sem sair de casa sem se exercitar nenhum dia na semana! Recomende caminhadas curtas diárias, nem que seja para dar uma volta no bairro, estimule ficar offline durante as refeições. Com o tempo eles podem ir acrescentando atividades físicas à rotina, como uma corrida, por exemplo. As atividades também podem acontecer em grupo, de maneira remota. Que tal unir toda a equipe para uma sessão de ginástica ou yoga laboral com um profissional certificado? 🙂
  3. Recomende a divisão da casa entre o local de trabalho e descanso. É eficaz, para a organização e produtividade no trabalho home office, que o colaborador não trabalhe o dia inteiro de pijama/desarrumado, por exemplo. Além disso, estimule que eles realizem uma lista de tarefas para cada dia (uma dica é a utilização da ferramenta Google Agenda), para que não trabalhem depois do expediente, podendo desenvolver a síndrome de burnout-CID, profissionais workaholics ou com síndrome do impostor.
  4. Promova reuniões em vídeo. É importante que hajam reuniões pontuais e necessárias: algumas vezes nos perguntamos se uma determinada reunião não poderia ter sido apenas um e-mail, né? Mas caso necessite realizar uma reunião, opte para que seja em vídeo, ao invés de texto ou chamada de voz. Isso cria um diálogo mais eficaz entre a produtividade no trabalho em equipe e a gestão, promovendo um contato maior, mesmo que à distância.

Melhorar a comunicação interna

Melhorar a comunicação interna

É fundamental que haja o monitoramento sobre o rendimento e desenvolvimento dos colaboradores dentro da empresa.

Para isso, a gestão pode realizar um formulário para colher feedbacks construtivos sobre o ambiente de trabalho, monitorando questões primordiais, como:

  • Estresse;
  • Quantidade de demandas;
  • Horas de trabalho;
  • Relacionamento interpessoais na empresa;
  • Entre outros.

Isso ajudará a liderança a ter uma noção mais específica sobre o que está acontecendo internamente dentro da empresa e quais soluções são mais cabíveis de serem tomadas.

Ter práticas e ferramentas, como: playbooks, modelos eficazes de gestão de tarefa e comemoração dos resultados, também pode dar aquele up na produtividade!

Outras opções que podem promover o engajamento da equipe são ações de endomarketing criativas para potencializar a comunicação interna.

Contrate uma empresa especializada para te auxiliar no suporte à saúde mental

Contrate uma empresa especializada para te auxiliar no suporte à saúde mental

Agora que você já sabe a relevância da saúde mental para a produtividade dos colaboradores dentro das empresas, você pode contar com a Guia da Alma para te ajudar nesse processo!

Oferecemos soluções completas que contam com:

Conheça os programas de Saúde Mental para empresas do Guia da Alma!

5/5 - (2 votos)

Cofundador e CEO do Guia da Alma. Instrutor de Meditação Mindfulness para Empresas. Tenho diversas formações na área terapêutica como Reiki e Thetahealing. Ajudando a melhorar a saúde mental nas empresas!

AGENDAR!

As Terapias Holísticas e Integrativas são complementares à medicina alopática, e não devem substituir nenhuma consulta e/ou tratamento médico.
Atenção: este site não oferece tratamento ou aconselhamento imediato para pessoas em crise suicida.
Em caso de crise, ligue para 188 (CVV) ou acesse o site www.cvv.org.br. Em caso de emergência, procure atendimento em um hospital mais próximo.
Política de Privacidade | Termos de Uso
Copyright © 2018 Guia da Alma. Todos os direitos reservados.
Feito com Luz e Amor em Florianópolis!
Por InCuca
Precisa de Ações para
Setembro Amarelo na empresa?

Achou! Palestras, Rodas de Conversa e Práticas de Saúde Mental para engajar seu time!