Como evitar a Síndrome de Burnout CID – 11: a nova doença do trabalho

Saiba tudo sobre a nova classificação, consequências e como prevenir na sua empresa com dicas valiosas.
mulher com síndrome de burnout cid em ambiente de trabalho
Mais terapias de Liana Chiaradia
5/5 - (5 votos)

A Síndrome de Burnout CID – 11 não é um problema recente. Porém, a partir de 2022, a Síndrome de Burnout é doença ocupacional. Ou melhor falando, “Síndrome ocupacional”.

A grande diferença é que, na maioria dos casos, as doenças tem uma razão conhecida e definida. Enquanto as síndromes são quadros sem um veredicto definitivo sobre sua origem e sintomas.

O Burnout foi oficializado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como uma síndrome crônica e inserida na Classificação Internacional de Doenças (CID-11).

Ele é definido como a síndrome do esgotamento profissional, resultante do excesso de trabalho, que não foi gerenciado com sucesso. E pode acarretar em sensação de exaustão, esgotamento de energia, sentimentos negativos e redução da eficácia profissional.

Por isso, RHS, líderes, gestores e empresários, devem estar atentos a essa síndrome ocupacional no que se refere a qualidade de vida no trabalho oferecida, produtividade e por questões trabalhistas.

Nesse artigo, vamos explicar tudo sobre o que é a Síndrome de Burnout, como identificar se os seus colaboradores estão com Burnout e o que RHs e líderes podem fazer para prevenir.

Sou Liana Chiaradia, co-founder e CMO do Guia da Alma – a maior plataforma de Terapias Holísticas do Brasil para melhorar a saúde mental nas empresas.

Boa leitura!


 

O que é a Síndrome de Burnout CID – 11 e como afeta as empresas agora?

mulher em síndrome de burnout cid

Foto: Rido – Canva

Em 2019, a OMS classificou o Burnout como um “fenômeno ligado ao trabalho”. Mas foi em 2022 que a síndrome foi oficializada com CID e, segundo o texto, como “estresse crônico de trabalho que não foi administrado com sucesso”.

A mudança na classificação traz uma evidente relação do Burnout com o ambiente de trabalho e a responsabilidade da empresa sobre a saúde mental e integridade dos colaboradores.

Essa classificação pode ter um efeito grandioso em processos trabalhistas e indenizações relacionadas ao tema. Algumas dos principais recursos que o funcionário pode usar são:

  • Diagnóstico e laudo médico;
  • Histórico do profissional;
  • Avaliação do ambiente de trabalho;
  • Relatos de testemunhas;
  • Provas de degradação emocional;
  • Fatores causadores da síndrome, como: assédio moral e cobranças agressivas.

Segundo pesquisa do International Stress Management Association (Isma-BR) de 2018, os dandos antes da pandemia, mostraram que 32% dos trabalhadores brasileiros tinham Burnout, ficando em segundo lugar no ranking mundial (só ficando atrás do Japão).

Durante a pandemia e no pós, considera-se que esses dados tenham crescido consideravelmente.

Segundo o artigo “Avaliação da produtividade na síndrome de burnout” de Adriano Hyeda e  Zuher Handar que avaliou o impacto do burnout no desenvolvimento do presenteísmo pelos sintomas emocionais em um grupo de enfermagem, concluiu que:

“Os sintomas emocionais referidos pelos trabalhadores afetaram significativamente no desempenho dos funcionários com burnout, interferindo na capacidade de concentração e na conclusão das atividades laborais.”

 

Sintomas de síndrome de Burnout no ambiente de trabalho

homem em sintomas de síndrome de burnout cid

Foto: PixelsEffect – Getty Images Signature

Algumas das profissões mais atingidas pelo Burnout são aquelas de muita pressão mental, risco e/ou trabalho excessivo, como: policiais, médicos e professores.

Porém, a síndrome de Burnout CID 11 também tem sido cada vez mais comum em empresas de tecnologia.

Muitas pessoas que são vistas como: “perfeccionistas”, “que fazem horas extras e estão sempre à disposição”, “exigentes demais”, “sempre estressados”, “não é mais um bom profissional como antes”, podem na verdade, estar apresentando sintomas de síndrome de Burnout no ambiente de trabalho.


Confira aqui alguns dos sinais e sintomas do Burnout mais frequentes que os colaboradores podem apresentar:

  • Necessidade constante de aprovação e validação;
  • Incapacidade de se desligar do trabalho, estando sempre online e fazendo horas extras;
  • Colocar o trabalho antes nas necessidades pessoais;
  • Mudanças visíveis em comportamentos, humor e valores pessoais;
  • Distanciamento social e problemas interpessoais;
  • Exaustão e falta de energia;
  • Rendimento, desempenho e produtividade em queda;
  • Baixa motivação;
  • Negativismo;
  • Problemas de saúde frequentes;
  • Sentimentos de incompetência e insegurança.

Leia também nossos outros artigos para entender mais sinais:

 

Como prevenir a Síndrome de Burnout CID 11 na empresa? 5 dicas valiosas!

mulher em síndrome de burnout cid 11

Foto: PeopleImages – Getty Images Signature

É possível que ao ler os sintomas você tenha identificado eles em muitos colaboradores. Talvez muitos deles não sabem o que fazer com a situação, ou mesmo não sabem que estão nela, ou como evitar.

Por isso, é importante promover ações tanto emergenciais, como preventivas.

Seja essa mudança, tão necessária na vida de seus colaboradores. Confira dicas que você pode implementar na sua empresa:

1. Falar sobre o tema

ícone de falar sobre o tema

Saúde Mental no trabalho não pode mais ser um tabu. Quanto mais falamos sobre o tema, mais pessoas entenderão o que estão sentindo e se sentirão motivadas a mudar essa questão.

Inclusive, recentemente muitos famosos admitiram estar vivenciado ou terem superado a Síndrome de Burnout, como: a jornalista Izabella Camargo, as cantoras Anitta e Taylor Swift.

Fale sobre o tema no ambiente de trabalho através de materiais de endomarketing, nas reuniões e 1:1, e com palestras sobre saúde mental.

2. Implementar uma cultura saudável

ícone de implementar uma cultura saudável

Criar um ambiente de trabalho saudável que não normaliza o “estresse”, nem determina metas impossíveis, é um primeiro passo.

Mas mais do que isso, é criar um ambiente confortável, com segurança psicológica e práticas que estimulem o bem-estar dos colaboradores.

3. Proporcionar tempo para relaxamento com práticas

ícone de proporcionar tempo para relaxamento com práticas

Incentivar pausas no trabalho, para dar um “reset” na mente são muito saudáveis e podem ajudar a aliviar os sintomas do burnout, da ansiedade e estresse no trabalho.

Meditação, Yoga, Ginástica Laboral e Exercícios de Respiração são ótimos e comprovados cientificamente.

4. Treinar a liderança

ícone de treinar a liderança

Os líderes precisam estar preparados para identificar como seus liderados estão e como agir através de uma liderança assertiva e comunicativa. Estimule treinamentos, 1:1 e feedbacks constantes.

5. Implementar projetos de Saúde Mental

ícone de implementar projetos de saúde mental

Fazer ações pontuais já é um começo, mas ter projetos de longo prazo, certamente vai trazer resultados mais estáveis e duráveis.

Nesses projetos você pode inserir mapeamentos de saúde mental, terapias individuais para tratamento e práticas recorrentes de bem-estar.

 

As dicas fizeram sentido?

Então conheça os programas de Saúde Mental e Qualidade de Vida para empresas do Guia da Alma: palestras, treinamentos, terapias, práticas de meditação, yoga e mais!

Vai ser um prazer te ajudar a prevenir essa síndrome, assim como já ajudamos tantas outras empresas.

5/5 - (5 votos)
As Terapias Holísticas e Integrativas são complementares à medicina alopática, e não devem substituir nenhuma consulta e/ou tratamento médico.
Atenção: este site não oferece tratamento ou aconselhamento imediato para pessoas em crise suicida.
Em caso de crise, ligue para 188 (CVV) ou acesse o site www.cvv.org.br. Em caso de emergência, procure atendimento em um hospital mais próximo.
Política de Privacidade | Termos de Uso
Copyright © 2018 Guia da Alma. Todos os direitos reservados.
Feito com Luz e Amor em Florianópolis!
Por InCuca
[Report Gratuito] Dados sobre Saúde Mental no Trabalho!

Receba um relatório completo com dados e tendências para RH!