Workaholic não é elogio! Saiba como identificar, prejuízos para sua vida e como lidar

Faça o teste e saiba como lidar.
workaholic
Mais terapias de Rodrigo Roncaglio
5/5 - (1 voto)

Workaholic são pessoas que priorizam o trabalho excessivamente, podendo deixar de lado até mesmo a própria saúde física e mental, isolando-se do convívio com a família e amigos.

Segundo pesquisa do Instituto Finlandês de Saúde Ocupacional, trabalhar em excesso pode resultar em estresse e desencadeia vários problemas de saúde, tais como: depressão, vícios em álcool ou remédios, diabetes, insônia, doença cardíaca e problemas de memória.

Vivemos em uma cultura que valoriza o esforço, com resultados sempre melhores e metas sempre maiores.

Porém, precisamos respeitar nossos limites e prioridades. Ao contrário do que muitos pensam, para a empresa também pode ser prejudicial ter trabalhadores workaholic.

Trabalhar demais a longo prazo pode ser bem negativo para a saúde física, mental e emocional. E também para a produtividade e relacionamentos interpessoais.

Será que você é workaholic? Leia esse texto para saber mais sobre o assunto e entender seu caso.

Sou Rodrigo Roncaglio, CEO do Guia da Alma – a solução completa para a Saúde Mental no trabalho. Boa leitura!


O que é uma pessoa workaholic?

O que é uma pessoa workaholic

Foto: DCStudio – Freepik

A origem da palavra “workaholic” surgiu em 1968, pelo psicólogo Wayne E. Oates. O significado de workaholic é “viciado em trabalho”.

Ele utilizou esse termo para definir pessoas que possuem uma necessidade inesgotável de trabalhar, tendo a relação com o trabalho muito parecida com o vício em drogas ou alcoolismo.

Pessoas com esse problema normalmente trabalham mais do que o turno estipulado para seu cargo, chegando a passar mais de 12 horas seguidas em expediente, podendo até levar trabalho para casa.

Podem preterir a relação com amigos, cônjuge e familiares pelo trabalho, sempre checando o celular para ver se existe alguma pendência, nunca aproveitando o tempo livre.

Além disso, as características da personalidade de uma pessoa workaholic são, decerto, relacionadas à consistência, como: perfeccionismo, organização, excesso de responsabilidades e diligência.

Perceba que há uma diferença entre pessoas que gostam de trabalhar (worklovers) e os viciados em trabalho (workaholic).

Quem gosta de trabalhar consegue priorizar seus hobbies e tempo livre, focando, também, em sua saúde mental e física.

Já a pessoa viciada em trabalho não consegue viver para além do trabalho, sendo um comportamento extremamente tóxico para si mesmo e para quem convive com essa pessoa.

Veja algumas diferenças entre um workaholic e um worklover:

Workaholic

Workaholic

  • Não possui uma relação positiva com o trabalho, apesar de focar tanto no mesmo. Passa boa parte do tempo de folga reclamando do seu período de trabalho;
  • Não consegue ter hobbies ou preservar momentos de autocuidado, apenas pensando em trabalhar incessantemente;
  • Apresenta quadros de estresse, insegurança e insatisfação constantes;
  • Procura viver em função da validação de seus superiores;
  • Acredita que seu potencial só pode ser visto se o tempo de trabalho for além do estipulado.

Worklover

Worklover

  • Trabalha em função de desenvolvimento de carreira profissional e conquista pessoal;
  • Sabe aproveitar seus momentos de folga e lazer, retornando ao trabalho mais relaxado e tranquilo;
  • A satisfação no trabalho visa o próprio desenvolvimento pessoal, não apenas a validação de superiores;
  • Sente que o trabalho proporciona satisfação e realização;
  • Tem noção de que o excesso de trabalho refletirá em seus relacionamentos pessoais e consegue equilibrar esses dois pólos.

É importante frisar que uma pessoa workaholic não é, necessariamente, uma pessoa produtiva. Muitas vezes vemos pessoas que não conseguem ter uma rotina organizada e acabam trabalhando em excesso para compensar nos resultados.

Como saber se sou workaholic? Sintomas e sinais

Como saber se sou workaholic?

Foto: LipikStockMedia – Freepik

Vamos fazer um teste simples?

Uma pesquisa intitulada “Bergen Work Addiction Scale”, realizada por pesquisadores noruegueses, criou um sistema de perguntas para medir o nível de vício em trabalho.

Responda as perguntas abaixo com: Nunca / Raramente / Às vezes / Frequentemente / Sempre

  1. Pensa constantemente em como pode livrar mais tempo para trabalhar
  2. Passa mais tempo trabalhando do que o planejado
  3. Trabalha para reduzir sentimentos de culpa, ansiedade, desamparo e depressão
  4. Outras pessoas já disseram que você precisa reduzir o nível de trabalho de seu cotidiano
  5. Se sente estressado se for proibido de trabalhar (em alguma circunstância média, por exemplo)
  6. Não pratica hobbies, exercícios ou atividades de lazer por causa do trabalho
  7. O trabalho já influenciou negativamente na sua saúde

Se você respondeu “Frequentemente” ou “Sempre” em pelo menos quatro dessas perguntas, você é um workaholic ou tem tendências para.

Uma pessoa workaholic acredita que tudo gira em torno de trabalho, seja no âmbito da alegria ou da tristeza, colocando, sempre, a vida pessoal de lado em prol dos afazeres laborais.

Não existe, também, limitações quanto à ambiente pessoal e profissional, pois reuniões, ligações, metas e projetos acabam tornando-se infinitos, o que ocasiona a extensão do trabalho para a vida em casa.

O vício em café também pode aparecer, ou até mesmo a necessidade de tomar medicamentos, tornando-se hábitos frequentes.

Se você se identifica com esses tópicos supracitados, respira fundo: neste artigo irei te dizer como você pode se ajudar e resolver esse problema.

Mas, antes de partir para as soluções, é importante que você reconheça como essa forma de viver pode ser prejudicial:

Prejuízos de se tornar workaholic

Prejuízos de se tornar workaholic

Foto: yanalya – Freepik

Vejamos agora alguns prejuízos de ser uma pessoa workaholic.

Não possui vida social

Não possui vida social

A pessoa viciada em trabalho não consegue encontrar tempo na agenda para relaxar, ter lazer ou até mesmo descansar das horas trabalhadas.

Recusa todos os convites para sair com amigos ou ver a família, podendo desenvolver problemas de saúde decorrentes desse isolamento e estresse excessivos.

Desenvolve problemas de saúde

Desenvolve problemas de saúde

O excesso de trabalho acaba fazendo com que a pessoa não pratique atividades físicas, se alimente bem ou tenha uma boa noite de sono.

Resumindo: não pratica os hábitos necessários para o autocuidado. Isso acarreta em diminuição da imunidade e constantes impactos na saúde física.

Redução na eficiência do trabalho

Redução na eficiência do trabalho

No início pode ser interessante ser workaholic, pois a pessoa workaholic apresenta resultados rápidos e satisfatórios.

Contudo, naturalmente, o potencial desse profissional tende a exaurir-se, pois há sempre checklists gigantes de demandas a serem feitas, que resultam em ansiedade, estresse e sérios problemas futuros.

Necessidade de fazer sempre mais

Necessidade de fazer sempre mais

O profissional workaholic pode vir a desenvolver a síndrome de Burnout, pois está sempre pensando em realizar mais, onde as tarefas atribuídas nunca são suficientes.

Isso significa que esse profissional está sempre aceitando todas as demandas que surgem ou incluindo mais. Sem filtrar o que, muitas vezes, é até mesmo de sua alçada. Nem respeitando seus limites.

Para o workaholic, a autoestima também costuma estar relacionada ao trabalho. Esse sintoma anda lado a lado com o Burnout: a síndrome do esgotamento profissional.

A síndrome de burnout é coisa séria e é um dos principais motivos de desequilíbrio na saúde mental no trabalho.

Como lidar com um perfil workaholic?

Como lidar com um perfil workaholic

Foto: marymarkevich – Freepik

Agora que vimos o lado negativo de uma pessoa com esse problema, vamos poder entender como lidar com esse perfil.

Reconheça-se como uma pessoa workaholic

Reconheça-se como uma pessoa workaholic

Para início de conversa, você deve entender que possui um problema e que precisa de ajuda. Esse é o primeiro e fundamental passo a ser tomado.

Em seguida, é possível entender o motivo desse vício em trabalho em prol de sua vida pessoal.

Seja honesto consigo! Para muitas pessoas, o excesso de trabalho e autocobrança pode estar disfarçando traços de síndrome do impostor, inseguranças ou medo do fracasso.

Para chegar a essa conclusão é preciso autoconhecimento e autoanálise, para isso é necessário terapia. Ajuda profissional é importante!

Mesmo para pessoas workaholic, é possível incluir na rotina de forma fácil horários para fazer terapia online.

Organize a rotina entre a vida profissional e pessoal

Organize a sua rotina entre a vida profissional e pessoal

Crie limites para a sua rotina de trabalho e seus momentos de descanso e lazer.

É importante não se isolar e sempre arranjar um tempinho na semana para ver amigos ou família, alguém que você possa conversar e se sentir bem.

Pratique hobbies, como atividades físicas de sua escolha, por exemplo.

Vá caminhar no parque, andar de bicicleta, aprenda algo novo…

Encontre o caminho que melhor lhe apetece para que você possa ter mais saúde emocional e desenvolver o equilíbrio entre saúde física, mental e sucesso no trabalho.

Faça pausas durante o expediente

Faça pausas durante o expediente

Seja trabalho presencial, híbrido ou remoto, é fundamental realizar pausas durante o expediente. Seja para se alongar, meditar ou tomar uma água!

No home office, principalmente, é muito comum passar muitas horas trabalhando sem perceber que o tempo passou, o que pode causar muito prejuízo à saúde mental, como ansiedade e estresse no trabalho.

Nossa mente assimila informações sem prejudicar a atenção durante 50 minutos. Após esse período, é necessário uma pausa para processamento do que foi aprendido até então.

As pausas no trabalho devem acontecer com duração de 10 a 15 minutos, por exemplo, para evitar a estafa mental e aumentar a produtividade e foco.

As pausas são eficazes para estimular a atenção e foco de todos os colaboradores, o que gera retorno imediato à empresa. Três pausas durante um expediente de 8 horas de trabalho é o mais recomendado.

Medite

Medite

A Meditação é uma técnica terapêutica na qual o indivíduo utiliza a prática para focar a sua mente no presente, buscando um estado de clareza mental e emocional.

A técnica de Mindfulness conecta ação e pensamento, sendo também conhecida como Prática de Atenção Plena, utilizada para aumentar o foco e disciplinar a mente.

Você pode ver outras terapias e dicas de como cuidar da saúde mental na Plataforma Guia da Alma!

5/5 - (1 voto)

Cofundador e CEO do Guia da Alma. Instrutor de Meditação Mindfulness para Empresas. Tenho diversas formações na área terapêutica como Reiki e Thetahealing. Ajudando a melhorar a saúde mental nas empresas!

AGENDAR!

As Terapias Holísticas e Integrativas são complementares à medicina alopática, e não devem substituir nenhuma consulta e/ou tratamento médico.
Atenção: este site não oferece tratamento ou aconselhamento imediato para pessoas em crise suicida.
Em caso de crise, ligue para 188 (CVV) ou acesse o site www.cvv.org.br. Em caso de emergência, procure atendimento em um hospital mais próximo.
Política de Privacidade | Termos de Uso
Copyright © 2018 Guia da Alma. Todos os direitos reservados.
Feito com Luz e Amor em Florianópolis!
Por InCuca
[Report Gratuito] Dados sobre Saúde Mental no Trabalho!

Receba um relatório completo com dados e tendências para RH!