Como despertar o sagrado feminino? 8 dicas poderosas!

Saiba como resgatar a conexão com seu próprio eu, sua essência feminina.
mulheres em como despertar o sagrado feminino
Terapeuta Certificado
Mais terapias de Wanessa Cardoso
4.9/5 - (15 votos)

Buscando formas de resgatar e como despertar o sagrado feminino em você?

Você já deve ter ouvido falar sobre o livro best-seller “Mulheres que correm com lobos”, da psicanalista junguiana Clarissa Pinkola Estés, publicado em 1993, nos Estados Unidos e lançado no Brasil, em 1994.

Esse livro reúne um total de 19 lendas mitológicas que trazem a ideia, segundo a autora, de resgatar os arquétipos femininos ancestrais. É, por isso, um dos livros clássicos para o estudo do Sagrado Feminino.

O Sagrado Feminino é um movimento de despertar, de empoderamento e conexão com nossa ancestralidade, retomado na atualidade.

Esses conhecimentos são transmitidos através de livros, cursos e grupos de mulheres, que se unem para discutir e praticar os conceitos. São os conhecidos ciclos de mulheres.

Os tópicos estudados são:

  • As emoções guardadas em nossos corpos (principalmente no útero);
  • A sintonia entre a menstruação e as fases da lua;
  • A nossa identificação com as Deusas mitológicas;
  • O nosso poder de criação através de gestação de outro ser humano;
  • A influência que a natureza tem sobre nosso corpo físico e mental;
  • Entre muitos outros.

A ideia é voltar o olhar para dentro, prestar atenção ao nosso corpo que é sagrado por si só e entrar em contato com nossa intuição, história ancestral e energia de criação. Boa leitura!

Desperte o Sagrado Feminino em você com terapias para mulheres 😉

Terapeutas Guia da Alma estão te esperando!


O que é Sagrado Feminino? Significado

imagem de o que é sagrado feminino significado

Foto: Constantinis – istock

O Sagrado Feminino é uma filosofia de vida que tem por objetivo resgatar a conexão com nosso próprio eu, nossa própria essência feminina.

O despertar do Sagrado Feminino envolve aspectos físicos, mentais, emocionais, espirituais e energéticos.

Nada aqui tem a ver com religião ou dogmas impostos pelos próprios seres humanos, é a conexão com quem somos e com nossa intuição, criatividade, desejos e, até, nossa sexualidade.

Tem relação, também, com a consciência de nossos ciclos, como o ciclo menstrual e sua harmonização com a natureza.

Despertar o Sagrado Feminino é perceber as sutilezas que cada mulher traz em si e a conexão com a grande mãe natureza.

Para resgatar o Sagrado Feminino é preciso entrar em contato com a natureza e seus ensinamentos e isso só acontece quando voltamos à atenção, primeiramente, para a nossa natureza interior.

Sagrado Feminino e Masculino

ícone de sagrado feminino e masculino

Você já deve ter ouvido que todos nós apresentamos um lado feminino e um masculino, e é verdade. Nós somos feitos de dualidades que se completam e que, para funcionar bem, devem estar em equilíbrio. As energias masculina e feminina.

Uma das formas de entender este conceito está em um dos princípios da Medicina Tradicional Chinesa que consiste no equilíbrio entre duas forças vitais que se opõem e se complementam o Yin e o Yang.

Aqui não estamos falando em sexo biológico e de genética, mas sim nas forças que estão presentes em todos os indivíduos: as polaridades das energias Yin e Yang, que representam a Feminilidade e a Masculinidade, respectivamente.

Para entender essa dualidade, vale exemplificar:

  • Yang: força associada ao Sol, à luz, ao dia, ao calor, ao “Masculino”;
  • Yin: associada à Lua, escuridão, à noite, ao frio, ao “Feminino”.

Quando nos referimos ao Sagrado Feminino e ao Sagrado Masculino nos referimos, então, a essas qualidades energéticas criadoras de tudo o que existe. Essas energias devem estar em harmonia dentro de nós e assim à nossa volta.

O Sagrado Feminino tem a intenção de resgatar o culto do corpo feminino e a conexão com a natureza que nossas ancestrais tinham.

Já o movimento Sagrado Masculino vem rever o desequilíbrio causado pela repressão imposta aos homens há séculos, como:

  • Conceitos de que o homem deve ser o mais forte;
  • De que nunca deve chorar ou demonstrar fraqueza;
  • Que deve reprimir suas emoções;
  • Que não erra e que deve ser superior à mulher, quando na verdade devem se completar;
  • Entre outros.

Ao revermos esses conceitos e modificá-los, podemos reequilibrar ambas as energias feminina e masculina, não só dentro de nós, como no planeta como um todo.

Uma vez que estamos com essas energias em equilíbrio, manifestamos esse mesmo equilíbrio à nossa volta. A energia que enviamos é a energia que recebemos de volta.

Minha vivência pessoal com o Sagrado Feminino

ícone de Minha vivência pessoal com o Sagrado Feminino

Confesso que estou nesse processo de conhecer e integrar em minha vida os aprendizados aqui expostos.

Tudo é muito novo para mim também, mas já passei por muitos processos de auto análise e curas internas — em sua maioria de forma intuitiva — e, ao montar este texto, pude finalizar alguns desses processos.

Durante esses anos de atendimento com a Naturopatia pude conhecer mulheres com as mais diferentes queixas físicas e emocionais, que evidenciam a falta de conexão consigo mesmas. Vale lembrar que a ideia aqui não é o julgamento, e sim o olhar para dentro e refletir.

Desses encontros, posso evidenciar mulheres que:

  • Acham muito estranho a relação com o sangue menstrual e o cultivo da natureza (sentem vergonha ou nojo);
  • Sentem dificuldade em entender que aqui não há dogmas religiosos e sim o conhecer a si mesma (o conflito com o que se sente e as obrigações impostas por uma determinada religião);
  • Acreditam que a única forma de sobreviver a este mundo é através de uma competição sem fim (no campo profissional ou na busca do corpo perfeito em comparação às outras);
  • Estão em constante busca por algo que não se sabe o que é (angústia sem explicação, sintomas físicos sem explicação, a busca sem fim);
  • Apresentam dificuldade em aprender quais são seus limites e como expor suas vontades;
  • Possuem conflito em ter que ser algo que não querem (maternidade, matrimônio), a vida cotidiana sem propósito ou perspectiva.

A vida é feita de desafios, isso é fato, mas quando nos entendemos, quando estamos em equilíbrio (corpo físico, mente, emoções e energia) encontramos as soluções com mais facilidade.

Sozinha nem sempre é fácil e não é essa a intenção, afinal, não moramos em ilhas isoladas, vivemos em sociedade. Buscar ajuda também faz parte e não deveria ser encarada com vergonha ou fracasso.

Como despertar o Sagrado Feminino? 8 dicas

imagem de Como despertar o Sagrado Feminino? 8 dicas

Foto: fizkes – istock

Agora que entendemos melhor os desafios e conceitos, vamos ver dicas para despertar o Sagrado Feminino!

1. O útero no Sagrado Feminino

ícone de o útero no sagrado feminino

O útero vai muito além do órgão que serve de local para o desenvolvimento de um feto, é um centro energético onde pulsa o Sagrado Feminino, nossa intuição e instintos. É o portal de conexão com a Grande Mãe Natureza.

Quando a mulher aprende a ver dessa forma, ela é capaz de:

  • Despertar seu amor-próprio;
  • Passar a amar e respeitar seu corpo como é;
  • Entender seus ciclos;
  • Aceitar seu jeito de ser, sua aparência e sua ancestralidade;
  • Entrar em contato com sua autoestima;
  • Aflorar a intuição e confiar no que sente, fazendo o que precisa ser feito, sem dificuldade.

Traumas e memórias de abusos (sofrimento, tristeza, rejeição, mágoas) podem bloquear esse centro de energia; ao reequilibrá-lo, seus relacionamentos interpessoais mudam e ela passa a atrair pessoas que estão na mesma sintonia.

Ao entrar em contato com o Sagrado Feminino, a mulher ressignifica relacionamentos passados e passa a agradecê-los, porque entende que servem de aprendizado, por exemplo.

Além disso, o útero é o cálice sagrado portador de todos os mistérios ancestrais, é a árvore sagrada da vida: todas as histórias que você viveu e todas as mulheres que vieram antes de você (mãe, avós, bisavós etc) estão armazenadas nesse local sagrado.

Todos os saberes ancestrais estão registrados em nosso ventre:

  • Amor incondicional;
  • Resiliência;
  • Magia;
  • Sabedoria;
  • Práticas de conexão de nossas ancestrais.

O mais legal é que podemos conectar e resgatar toda essa força do despertar do Sagrado Feminino, basta querer e treinar.

2. Sagrado Feminino – Menstruação e Luas

ícone de Sagrado Feminino - Menstruação e Luas

Como fazemos parte da natureza é natural que tenhamos ciclos. Esses ciclos recebem influência da lua.

A lua influencia o despertar do Sagrado Feminino, pois tem relação com as marés, indica quando plantar e colher alimentos, além de nos mostrar o melhor momento para engravidarmos e darmos à luz.

Ao entendermos isso podemos resgatar essa conexão e desfrutar das potencialidades de cada uma de nossas fases, tendo uma vida mais harmônica.

Na antiguidade, as mulheres tinham as fases de seu ciclo menstrual em sincronia com a energia lunar; menstruavam na lua nova, marcando o novo ciclo, iniciando-se em todos os sentidos, por exemplo.

Hoje muitas mulheres fazem uso de hormônios contraceptivos, o que dificulta enxergar a verdadeira conexão com nossa natureza.

Não estou aqui para defender ou não o uso de contraceptivos e sim te fazer pensar a respeito. O corpo é seu e você tem o direito de determinar o que acontece com ele.

Nosso ciclo menstrual tem uma duração média de 28 dias, assim como o ciclo da lua.

No decorrer desse ciclo seremos cheias, minguantes, novas e crescentes. Então vamos, agora, entender as fases da lua e como ela nos influencia.

  • Lua Cheia: corresponde à fase da ovulação, hora de expandir. Do arquétipo da Mãe, a que cuida, acolhe e tem magnetismo sexual.

A lua está no máximo de luz e expansão. Estamos em nosso auge. Período máximo de criatividade, fertilidade e sexualidade. Momento de se comunicar, agir e brilhar. Hora de realizar nossos desejos.

  • Lua Minguante: corresponde à fase pré-menstrual, momento de se recolher e se preparar para a próxima fase.

Do arquétipo da Feiticeira, que olha para dentro e enxerga suas próprias sombras.

Estamos na ansiedade e sintomas emocionais da TPM. Nessa fase nos sentimos irritadas, sensíveis, reflexivas e observadoras.

Precisamos silenciar para revermos nossos conceitos, crenças e atitudes com amor e autoperdão.

  • Lua Nova: corresponde à fase menstrual, é a hora de se transformar e plantar a lua. O arquétipo referente a essa fase é a Bruxa Anciã, a sábia.

A lua atinge o máximo de sombra, neste momento nos sentimos introspectivas para que possamos nos conectar com nosso inconsciente e o mundo espiritual.

É o fim de um ciclo e o início do próximo. Nessa fase podemos deixar fluir a energia de limpeza do que não nos serve mais para que possamos nos abrir para novas oportunidades. É momento de se recolher para entender o que se passa dentro.

  • Lua Crescente: corresponde à fase pré-ovulatória, após a limpeza temos que nos preparar para a expansão. O arquétipo aqui é o da Donzela.

Hora de plantar novas sementes, se divertir usando a vitalidade deste período, ter criatividade e vontade de expandir, momento de ter novas ideias de como encontrar o que te faz feliz.

Experimente comparar as fases do seu ciclo menstrual com as fases da lua e perceba seus sintomas físicos e emocionais.

Repare como a lua pode te ajudar a entender como passar por estes períodos com mais tranquilidade e aproveitar melhor cada fase.

3. Ritual – Sagrado Feminino: óleos essenciais

ícone de Ritual - Sagrado Feminino: óleos essenciais florais

Muitas são as formas de conexão com o Sagrado Feminino e você as verá em simples buscas na internet, como:

  • Plantar a lua;
  • Massagem intuitiva;
  • Círculo de mulheres;
  • Entre outros.

Contudo, aqui irei me ater a citar as técnicas com as quais trabalho, técnicas com as quais pude ver em mim muita desta conexão. Seguem algumas delas.

Uma das formas mais práticas de resgatar muitas de nossas qualidades e cuidar de nosso emocional é através da Aromaterapia.

Muitos são os óleos essenciais que podemos usar nessa técnica, mas os óleos florais tem muito a ver com a conexão com o feminino. Entre essas principais flores, temos:

  • Óleo essencial de Ylang Ylang: o óleo do resgate do amor-próprio.

É um óleo essencial para autoestima, para se olhar e se ver bela. Desperta a sensualidade e aumenta a autovalorização, desperta pensamentos amorosos.

Pode ser usado para conectar com a Deusa Kuan Yin, a Deusa do perdão e da compaixão.

  • Óleo essencial de Gerânio: o óleo da feminilidade.

Auxilia nos sintomas da TPM e menopausa, ajuda a equilibrar nossos hormônios. Resgata a autoestima elevada e auxilia a tratar e entender conflitos com nossas ancestrais femininas.

Podemos usar este óleo para nos conectar com a Lua e entender nossos ciclos.

  • Óleo essencial de Camomila: o óleo da calma e serenidade.

Calmante e auxilia no alívio de dores e sintomas da TPM e menopausa, auxilia no sono.

Traz alívio e elimina pensamentos negativos. Pode promover conexão espiritual e buscar proteção para seu dia a dia.

  • Óleo essencial de Sálvia Esclareia: o óleo da percepção.

Aumenta a intuição e amplia a sensibilidade. Trata cólicas intensas, auxilia em sintomas de TPM e até dores de parto.

Traz clareza mental para enfrentar os desafios do dia a dia. Ao usar este óleo de atenção a seus sonhos, pois serão reveladores!

  • Óleo essencial de Rosa: o óleo do amor e da beleza.

Incentiva a autovalorização e autocuidado.

Auxilia a reduzir a irritação, raiva, agressividade, angústia e oscilações de humor.

Ajuda a conectar com o amor universal e incondicional. Auxilia a conectar coma Mãe Maria e Kuan Yin, Deusas do Amor.

  • Óleo essencial de Artemísia: o óleo da força interior feminina.

Muito usado para tratar cólicas no período menstrual.

Traz segurança, foco e auxilia a enfrentar desafios.

Artemísia está associada à Deusa Ártemis, guerreira com profunda intuição, percepção e conexão com a lua e a natureza, conhecida como a parteira.

Existem muitas formas seguras de usar esses óleos.

Sugiro escolher o óleo que mais te chamar a atenção e sentir de 1 a 2 gotas deste óleo em uma bolinha de algodão. Faça isso por no máximo 15 dias.

Sinta e perceba como seu corpo reage.

Se num primeiro momento você não gostar do aroma, este é um desafio a ser enfrentado.

Neste caso você não deve passar sozinha, ok? Sugiro que busque a ajuda de um terapeuta para saber como usar corretamente os óleos essenciais.

4. Florais de Bach e despertar do Sagrado Feminino

ícone de Florais de Bach e vibração feminina

Os florais de Bach são compostos energéticos extraídos das plantas, com a função equilibrar uma determinada característica ou estado emocional específico.

Um buquê floral deve ser escolhido de forma individual para cada mulher, pois cada uma sente e vivencia os desafios à sua volta de forma única.

Com os florais podemos transformar, de forma geral, emoções, como:

  • Medos;
  • Incertezas;
  • Solidão;
  • Falta de interesse por circunstâncias atuais;
  • Sensibilidade à influências externas;
  • Desânimo e desespero;
  • Preocupação excessiva com os outros em suas qualidades positivas.

Quando estamos equilibradas, temos saúde, força para enfrentar os desafios e amor-próprio. 

5. Alimente-se de forma saudável

ícone de Alimente-se de forma saudável

A alimentação adequada nos mantêm saudáveis e equilibradas em todos os nossos ciclos.

Podemos diminuir os sintomas da TPM nos alimentando com:

  • Linhaça, rica em fitoestrogênio;
  • Banana e nozes, fontes de vitamina B6;
  • Salsinha e alimentos ricos em água, que atuam de forma diurética;
  • Frutas que nos ajudam a controlar a vontade de ingerir doces;
  • Vegetais verde-escuros e cereais, que suplementam ferro;
  • Entre outros.

Dar preferência para frutas, verduras e legumes aos alimentos ultraprocessados e industrializados nos ajuda a eliminar toxinas do corpo e a ter mais saúde para aproveitar todas as fases da vida.

Aqui também entra a Fitoterapia.

Quem nunca tomou um cházinho de erva-cidreira ou camomila para dormir bem?

Chá de artemísia serve para diminuir as cólicas menstruais, chá de gengibre para aquecer o corpo, entre outros.

Esses conhecimentos também vêm de civilizações muito antigas que entendiam que a saúde vinha da natureza.

6. Entre em contato com a natureza

ícone de Entre em contato com a natureza

Sentir a areia entre os dedos dos pés é divertido e agradável, você já percebeu?

Quando viajamos para o interior e ao abrirmos a janela escutamos os pássaros, sentimos aquele aroma agradável do orvalho da manhã, onde os primeiros raios de sol entram em contato com a pele. Maravilhoso, não!?

Essa conexão com a natureza é mágica, nos faz relaxar automaticamente. Então essa é a proposta: entrar em contato com a natureza.

E aí vale tudo, como:

  • Ouvir o som da chuva e sentir seu aroma;
  • Cultivar uma plantinha;
  • Ir viajar para lugares que possa entrar em contato com a natureza;
  • Colocar os pés na grama ou na terra;
  • Ir passear em um parque ou pracinha;
  • Entre outros.

A natureza é feminina e nos proporciona a conexão com quem somos.

7. Sagrado Feminino – Deusas e símbolos

ícone de Sagrado Feminino - Deusas e símbolos

Até este momento do texto conversamos sobre o campo físico e a conexão com nossa parte divina sobre diversos ângulos, mas te convido a ir além.

Você já percebeu que, dependendo da situação, agimos de determinada forma?

Digamos que uma face sua é exposta como reação ao que você está passando, seja no trabalho, em casa ou sobre seus relacionamentos afetivos… somos várias em uma e muitos são os arquétipos que podemos vivenciar.

No dicionário, arquétipo significa:

“Modelo ou padrão a ser seguido em caso de querer objetivos semelhantes.”

Esta é a ideia dos arquétipos mitológicos, a qual baseia-se o Sagrado Feminino.

Entre as Deusas que nos servem de arquétipos, temos:

  • Deusa Hesita: Deusa Grega que representa a mulher que cuida do fogo sagrado, protetora da família, do lar e da hospitalidade. Nos ensina a cuidar da família;
  • Deusa Atena: Deusa Grega, conhecida como Minerva pelos Romanos, que representa a mulher intelectual, racional e observadora. Deusa guerreira com o senso de justiça. Nos ensina a pensar antes de agir;
  • Deusa Deméter: Deusa Grega da colheita e da fertilidade. É a mãe que cuida da casa e dos filhos. Segundo a lenda Deméter fez de tudo para resgatar sua filha, Perséfone, de seu cativeiro. Nos ensina a defender o que amamos;
  • Deusa Perséfone: Deusa Grega da agricultura e da vegetação. Pela lenda era filha de Deméter e Zeus, e foi raptada por Hades, o Deus do submundo. Nos ensina a superar nossos desafios através do uso da intuição;
  • Deusa Ártemis: Deusa Grega guerreira que defende os mais fracos, Deusa da caça e da Lua. Também Deusa da castidade e dos partos. Nos ensina a enfrentar os desafios;
  • Deusa Afrodite: Deusa Grega do amor, da beleza e da fertilidade. Ela valoriza as relações, de forma leve e agradável. Nos ensina a amar.

Você consegue se ver em cada uma destas belas Deusas do sagrado Feminino? Situações ou momentos?

Pare para se perceber e faça uma autoanálise: como você vem empregando essa energia ou você nem sabia que elas estavam aí, em você?

8. Autoconhecimento: crenças do Feminino

ícone de Autoconhecimento: crenças do Feminino

Não podemos falar em conexão com o Sagrado Feminino e não chamar a atenção para uma questão muito importante: as crenças limitantes.

Crenças limitantes são pensamentos negativos que, na maioria das vezes, nos foram impostos no período de nossa infância, mas também no decorrer da vida em frases, como:

  • Você nuca será capaz de fazer isso”;
  • Gordinha do papai”;
  • Não adianta sonhar, você não tem condições de conseguir”;
  • Entre outras.

Muitas queridas interagentes ouvem tanto estas frases que passam a acreditar que são verdadeiras e acabam fazendo parte de sua personalidade.

O maior desafio é que elas são ouvidas de pessoas como os pais, mães, amigos, parentes, cônjuges e, por isso, ficam ainda mais facilmente gravadas no subconsciente.

Afinal, acreditamos que essas pessoas estejam cuidando de nós, nos amam, nunca nos fariam mal… E aí complica tudo.

Não vamos julgar nossos familiares e pessoas com as quais convivemos, mas vamos aprender o que nos serve e o que não.

Existem muitas técnicas para limpar essas crenças. Uma que eu gosto muito e também já me ajudou é a EFT: Terapia de Liberação Emocional.

Essa técnica consiste em estimular 9 pontos energéticos do nosso corpo através de pressões com nossos próprios dedos das mãos. É baseada na Acupuntura, técnica da Medicina Tradicional Chinesa.

Acho que você já deve ter percebido, ao longo deste texto, que há muitas formas de despertar o Sagrado Feminino.

Acredito que você também está se fazendo perguntas, realizou uma autoanálise e percebeu muito do que leu aqui em você.

Assim como eu, você deve ter reagido de forma intuitiva a muitas situações com as quais você se deparou no decorrer da vida e conseguiu êxito, mas nem sempre dá para passar por tudo isto sozinha, não é mesmo!?

4.9/5 - (15 votos)

Sou Terapeuta Integrativa. A base do meu trabalho é o Autoconhecimento através da Psicossomática e da Medicina Tradicional Chinesa. Trabalho com técnicas como: Aromaterapia, Fitoterapia, Florais de Bach, Reiki, Visualização criativa e mais. Saúde e bem-estar de forma holística.

AGENDAR!

Atende online

Desperte o Sagrado Feminino em você com terapias para mulheres 😉

Terapeutas Guia da Alma estão te esperando!

Mais terapias de Dra. Wanessa Cardoso

  • Chega de Tristeza, quero ser feliz! – Dra. Wanessa Cardoso

    Online em Videochamada
    R$90,00
    Dra. Wanessa Cardoso
    (28)
    Terapeuta Certificado
    Play
  • Reequilíbrio emocional – Dra. Wanessa Cardoso

    Online em Videochamada
    R$90,00
    Dra. Wanessa Cardoso
    (28)
    Terapeuta Certificado
    Play
  • Insônia – Durma bem com Florais de Bach – Dra Wanessa Cardoso

    Online
    R$90,00
    Dra. Wanessa Cardoso
    (28)
    Terapeuta Certificado
    Play
Ver Perfil de Terapeuta