Geração Z e conflito de gerações no ambiente de trabalho: como lidar?

Abordando os desafios da diversidade geracional no trabalho com a geração Z: 8 dicas práticas para líderes e gestores!
conflito-de-geracoes
Mais terapias de Rodrigo Roncaglio
5/5 - (1 voto)

Se você é gestor de uma empresa, ou líder, como eu, com certeza já esbarrou com o tema: conflito de gerações no ambiente de trabalho.

De forma estratégica, a liderança pode observar com cautela o agora e adaptar-se de forma inteligente ao novo cenário. Trazendo inclusão entre as diferentes gerações e aproveitando a riqueza que a diversidade pode trazer!

É preciso estar atento às mudanças que as gerações atuais começam a implementar dentro do mercado de trabalho, revolucionando cada dia a mais a gestão de RH dentro das empresas.

Neste artigo, irei apresentar o conceito de conflito de gerações e trazer estratégias e dicas práticas de como lidar com a geração Z no ambiente de trabalho, seja com o intuito de atrair ou reter esses talentos.

Sou Rodrigo Roncaglio, CEO do Guia da Alma: plataforma de saúde mental para empresas e pessoas. Boa leitura!


O que é conflito de gerações?

O que é conflito de gerações?

Foto: Freepik

Conversando com diversos clientes e RHs, eles me trazem uma dor latente: como lidar com diferentes perfis dentro da equipe, que tem formas diversas de agir, pensar e trabalhar?

Estas diferenças podem estar relacionadas a gênero e localidade. Mas se tornam muito evidentes quando falamos de gerações!

Esses conflitos, portanto, podem ocorrer dentro e fora do ambiente de trabalho, assim como em qualquer lugar que obtenha alguma estrutura hierárquica, como: família e sociedade em geral, como um todo.

No mercado de trabalho, que é o foco deste artigo, o conflito entre as gerações pode ser entendido como diferenças relacionadas à visão de mundo e perspectiva do futuro, como definição de sucesso, comunicação e preferências voltadas à tecnologia.

Contudo, esses problemas de ordem geracional podem causar custos consideráveis para a empresa, a longo prazo.

Para você ter uma ideia, um estudo desenvolvido pelas consultorias ASTD Workforce Development e VitalSmarts chegou à conclusão de que:

  • Os conflitos geracionais afetam diretamente o clima organizacional e a produtividade no trabalho
  • 1 em cada 3 entrevistados gasta 5 horas ou mais, por semana, administrando choques entre as gerações, o que acarreta em uma perda de 12% na produtividade.

Como founder e líder, me questiono constantemente em que aspectos devo inovar e quais medidas devo aderir para, estrategicamente, reter e engajar todas as gerações de colaboradores que trabalham na minha equipe.

Ter esse conhecimento, além de ser benefício para o time, também é importante para acompanhar as mudanças de comportamento de clientes e mercado.

Tais diferenças de gerações tornam-se extremamente contornáveis quando tem-se uma visão estratégica e determinada a entender os pontos positivos e negativos de cada geração, e como podemos utilizar isso aproveitando o potencial de cada uma.

  • Com paciência, as gerações mais novas podem aprender sobre toda a jornada que as gerações anteriores já percorreram e absorver seus aprendizados;
  • Por outro lado, as gerações mais maduras também podem aprender as novidades com os mais novos.

Um dos principais choques entre gerações acontece com a geração Z! Você já ouviu falar?

O que é geração Z?

O que é geração Z?

Foto: Freepik

Segundo a definição do dicionário Oxford languages,

geração
substantivo feminino
grau de filiação em linha direta.
“do avô ao neto há duas g.”

Ou seja, uma geração significa um grupo de pessoas filiadas, quer dizer, nascidas na mesma época, sofrendo influências do contexto histórico em que nasceram, provocando impactos na sociedade.

A geração Z, por sua vez, é formada por pessoas nascidas a partir de 2001.

Em 2018, a Organização das Nações Unidas (ONU) divulgou uma pesquisa que afirmava que essa geração seria a com a maior quantidade populacional já no seu ano posterior, em 2019.

Em 2019, a geração Z representava quase 32% da população do mundo todo.

Entende como é necessário conhecer a fundo essa nova geração, que acaba de entrar no mercado de trabalho? Veja, agora, as características principais de todas as gerações:

Características da geração X, Y e Z

Características da geração X, Y e Z

Diferentes gerações costumam conviver juntas no mercado de trabalho atual, com suas características próprias em relação à cultura, comportamentos, costumes e valores.

  • Baby Boomers: nascidos entre 1945 e 1964.
  • Geração X ou Geração Coca-Cola: nascidos entre 1965 e 1980.
  • Geração Y ou Millennials: nascidos entre 1981 e 1995/2000.
  • Geração Z: nascidos entre 1996/2000 e 2010.
  • Geração Alfa: nascidos a partir de 2010.

Vamos conhecer a fundo as características e individualidades das gerações X, Y e Z:

Geração X: características

Geração X: características

As pessoas da geração X nasceram entre os anos 1965 e 1980. Para essa geração, o que é mais importante no seu emprego é a estabilidade e o reconhecimento profissional.

Para lidar com colaboradores de diferentes gerações, é preciso levar em conta a motivação daquela geração em questão. As pessoas da geração X acompanharam o início da internet, mas ainda sem muita aproximação com ela do que as gerações mais novas.

Dessa forma, pode-se dizer que a geração X reconhece mais a importância da busca pelo conhecimento, tendo nos erros a melhor forma de se chegar ao sucesso, buscando a individualidade, sem perder a convivência em grupo.

Geração Y (ou Millennials): características

Geração Y (ou Millennials): características

São Millennials os nascidos entre os anos 1981 e 1995/2000. Essa é uma geração já bastante impactada com a expansão da tecnologia, sem a preocupação com formalidades e pouco interesse na estrutura hierárquica.

A motivação predominante da geração Y é trabalhar com o que gosta, focando mais na satisfação profissional e menos na estabilidade financeira.

Essa geração, portanto, é a primeira que começa a estar constantemente conectada em redes sociais, compartilhando experiências e momentos, consumindo um grande fluxo de informações diariamente.

Geralmente, são colaboradores com capacidade para multitarefas, e ambiciosos, prezando o plano de carreira dentro da empresa que trabalha, sendo proativos e muito criativos.

Geração Z: características

Geração Z: características

O foco em questão, aqui, é a geração Z, pois é a mais recente geração a entrar no mercado de trabalho, já trazendo várias modificações na estrutura da gestão organizacional das empresas.

Os jovens nascidos a partir de 2001 são extremamente realistas, práticos e focados em satisfazer a necessidade financeira.

Constantemente voltados para a contestação de estereótipos, acentua-se nessa geração uma busca pela quebra de rótulos voltados à idade, classe e até mesmo gênero.

Um aspecto positivo dessa geração é a capacidade de valorizar o diálogo, sendo avessos à polarização e respeitando as diferenças.

A motivação dessa geração no mercado de trabalho é a flexibilidade, autogerenciamento e equilíbrio entre vida pessoal e profissional.

Para quem trabalha com a geração Z, como eu, é preciso levar em consideração que esses colaboradores apresentam menos tolerância à atividades repetitivas, monótonas e não respondem bem à autoridade.

Conheça mais sobre essa geração:

  • Pragmáticos: no Brasil pós crise, o enriquecimento pessoal parece ter se tornado uma prioridade, e bem latente nas pessoas dessa geração, com um estilo de vida mais pragmático, lógico e autodidata;
  • Dão início à ressignificação do uso das redes sociais: diferente dos Millennials, que trazem uma conexão com as redes mais voltada à exposição constante e polarização desmedida, a nova geração traz o uso da internet de forma mais realista e espontânea, priorizando a transparência sobre a verdade, como intimidades e fragilidades;
  • Meme Thinkers: utilizando os vários signos disponíveis nas redes sociais, como emojis e memes, a geração Z exercita o uso da internet de maneira mais crítica e bem humorada, através de um código próprio para suscitar uma reflexão sobre a sociedade atual.

Pode-se dizer, portanto, que essa gana revolucionária em quebrar estereótipos e paradigmas traduz-se numa contestação do modelo hierárquico de liderança nas empresas, explicando as novas modalidades de trabalho que surgiram de forma autônoma através da internet, como os influencers digitais, e sucesso de empresas como Uber, Netflix e Spotify.

A geração atual, em 2023, seguinte à Z, é a geração Alpha, com pessoas nascidas a partir de 2010. São jovens que ainda não imergiram no mercado de trabalho, mas apresentam uma visão de mundo já bastante diferente, sendo muito curiosos, independentes, empáticos, e apresentando muitas dificuldades de concentração.

Vantagens da geração Z: pontos positivos e negativos no mercado de trabalho

Vantagens da geração Z: pontos positivos e negativos no mercado de trabalho

Foto: Lookstudio – Freepik

Conheça os desafios e perspectivas da geração Z no mercado de trabalho!

Pontos positivos da geração Z

Pontos positivos da geração Z

Os jovens dessa nova geração, nascidos já imersos numa sociedade muito evoluída tecnologicamente, possuem muita intimidade com a utilização do universo virtual, o que é uma vantagem em seleções de emprego.

Apresentam tendências revolucionárias, pensamento rápido e preservam a diversidade nas empresas. De forma geral:

“Os trabalhadores da geração Z são criativos e tendem a responder bem em grupos com profissionais de idades diferentes”, diz Daniel Campos, CEO da EDC Group.

Uma vantagem observada nessa geração é a proatividade, não esperando receber ordens para agir, concluindo trabalhos com muito mais rapidez, envolvendo-se rapidamente com outras tarefas.

Com uma mente bem diferente das gerações anteriores, são mais criativos e menos tolerantes à burocracias, interessados em otimizar o tempo que acham relevante, tanto no aspecto pessoal quanto profissional. É, portanto, uma geração que busca:

“Romper com a maneira antiga de pensar para permitir que ideias inovadoras venham à luz”, como afirma Rogério Gabriel, CEO da MoveEdu.

Para administrar uma equipe mais jovem, é preciso refrescar a mente com os conceitos atuais e adaptar-se às demandas de uma juventude com ambições mais empreendedoras, com garantia de independência e sucesso financeiro, sendo propensas à construção de suas próprias condições de trabalho.

Para conquistar a geração Z, leve em consideração as palavras-chave liberdadeflexibilidade, pois são pessoas mais desprendidas, com menos comportamentos voltados à vestir a camisa da empresa, focados mais no desenvolvimento pessoal e profissional, como um plano de carreira.

Por fim, um ponto positivo dessa nova geração é a facilidade em realizar várias tarefas ao mesmo tempo, pois foram nascidos com o contato direto com smartphones e computadores, podendo gerir a atenção sobre vários assuntos simultaneamente.

Pontos negativos da geração Z

Pontos negativos da geração Z

Aqui trago o termo “negativo” como forma de facilitar o entendimento. Mas como encarar como pontos a melhorar, assim como qualquer geração tem a aprender.

No mercado de trabalho, essa geração pode apresentar alguns desafios para a gestão.

74% dos líderes americanos acreditam que a nova geração é a mais difícil de se trabalhar, em comparação com as gerações anteriores, segundo pesquisa da Resume Builder.

Além disso, segundo pesquisa realizada pela consultoria de RH outsourcing, EDC Group, a geração Z é a menos engajada no trabalho. O estudo, divulgado na Forbes, foi realizado com 328 brasileiros, e revelou que:

  • Quase 13% dos colaboradores entre 18 e 25 anos não cumprem a carga horária total do expediente, tendendo a começar a jornada depois do horário marcado e terminar antes do previsto;
  • 4,35% dos colaboradores dessa geração afirmam que, caso surja alguma atividade no final do expediente, optam por não darem início à nova demanda e deixar para outro colaborador;
  • 25% afirma que a geração Z faz exatamente o que foi contratada para fazer, sem mais nem menos;
  • Comparados à geração anterior (Millennial), somente 1% dos colaboradores entre 35 e 40 anos afirmou que não realiza as atividades no final do expediente e 3% não cumprem a carga horária estabelecida;
  • 16% dos respondentes da geração Y preferem exceder as horas de trabalho para não deixar de entregar alguma atividade determinada para o dia.

Contudo, parece absurdo afirmar que esse é um ponto negativo, quando é apenas sintoma das necessidades de uma nova leva de pessoas que surgem diante de um cenário político e econômico sobrevivente à crises em várias áreas.

Dessa forma, a geração Z traz novas questões a serem priorizadas que diferem das anteriores, da mesma forma que a geração Y apresenta contestações relacionadas à geração X.

A geração Z também vem para nos revelar novas formas de trabalhar e equilibrar a vida pessoal e profissional.

O papel do RH e líderes, nesse momento, é o de entender essas urgências e lidar de forma estratégica com essa nova geração, adaptando-se às novas necessidades, de forma empática e prática, sem preconceitos e generalizações.

Conquiste a geração Z: com comportamentos que podem ser entendidos como reflexo da modernidade líquida, de Zygmunt Bauman, onde:

“Os tempos são líquidos porque tudo muda tão rapidamente. Nada é feito para durar, para ser sólido.”

A geração Z é a personificação de uma era de não permanência e inconstância, e é nesses fatores que uma gestão estratégica deve se ater para estimular as qualidades dessa nova geração.

Continue no artigo para entender como lidar com a geração Z no trabalho, através de dicas práticas.

Geração Z no trabalho: um desafio para os gestores

Geração Z no trabalho: um desafio para os gestores

Foto: Freepik

Os tempos são outros, e já há diferenças na gestão com a entrada da geração Z no mercado de trabalho, o que pode ser um desafio para os recursos humanos.

Ideias como vínculo de longo prazo com os empregadores, algo importante para as gerações anteriores, não parece fazer tanto sentido agora.

Os integrantes dessa geração, assim como os Millennials, costumam ser rotulados como colaboradores com falta de comprometimento, como foi dito já em tópicos anteriores. Contudo, são gerações que preocupam-se severamente com o futuro, trazendo sintomas intensos de ansiedade em grande parte dessa nova leva.

Embora apareçam desafios, a geração Z, em breve, será a maior parte da força de trabalho, e os líderes não podem adotar posturas reativas.

Muitas vezes, gestores optam por rotular e lidar com preconceito com a genZ, ao invés de adaptar-se às inovações que inevitavelmente surgem (Resume Builder). Assim, não consideram de súbito as habilidades criativas e adaptáveis que pessoas de todas as idades podem oferecer.

A orientação é que os líderes devem valorizar e reconhecer o trabalho da nova geração, que surge com opiniões fortes, enfatizando a ideologia que acredita. Essa qualidade, portanto, pode ser muito útil se bem direcionada por uma boa gestão.

  • Muitas vezes, o principal motivo que leva alguém da geração Z se demitir é a falta de motivação e identificação com o que a empresa apresenta em sua cultura organizacional.

A ausência de identificação com os pontos defendidos pela empresa acarreta a baixa produtividade e engajamento com as demandas diárias.

Dessa forma, a responsabilidade deve ser reconhecida por parte da liderança. Muitas vezes, empresas que apresentam um discurso de valorização do colaborador não agem, de modo prático, implementando medidas que demonstrem isso, o que pode trazer problemas frequentes dentro de uma organização.

  • Para isso, implementar programas de bem-estar e saúde mental nas empresas é um diferencial para essa geração, que apresenta um ritmo muito mais acelerado e impaciente, trazendo um cuidado escancarado com a saúde emocional e mental.
  • Soft skills como inteligência emocionalempatia no trabalho devem ser estimuladas por parte da gestão e líderes, seja através de treinamentos ou até mesmo com a divulgação de benefícios que tragam oportunidades de cuidado com a saúde integral do colaborador.

Aqui, no Guia da Alma, é assim que tratamos os nossos colaboradores, priorizando o diálogo e o reconhecimento de conquistas; para isso, é necessário que o cuidado com a saúde mental e emocional também parta da liderança.

Confira nosso eBook gratuito com 10 estratégias de Saúde Mental para CEOs de alta performance:

Como o RH pode enfrentar o conflito entre gerações? 8 dicas

Como o RH pode enfrentar o conflito entre gerações? 8 dicas

Foto: Halfpoint – Envato

Dicas para atrair e reter profissionais da Geração Z!

Segundo pesquisa recente publicada pelo MIT Sloan School of Management, as pretensões da geração Z no mercado de trabalho são:

  • Horários flexíveis (88%);
  • Bônus (77%);
  • Plano de saúde (69%);
  • Academia ou creche (38%);
  • Trabalho voluntário durante o expediente (31%).

Ou seja, para atrair e reter esses talentos, as empresas precisam investir em ferramentas que auxiliem a equipe de gestão a entender melhor cada colaborador, para manter uma rotina de produtividade mais eficiente. Veja algumas dicas:

Dica 1. Trabalhar a comunicação interna

Dica 1. Trabalhar a comunicação interna

A geração Z dá grande importância à comunicação de qualidade nas empresas, sendo possível tanto pessoalmente quanto por meio de redes sociais, portanto é necessário investir em canais que favoreçam esse contato direto.

Da mesma forma, para atrair esses talentos, a melhor forma de encontrá-los é nas redes sociais.

Leia também: Plano de comunicação interna nas empresas remotas: 8 dicas de ouro!

Dica 2. Oferecer salários atrativos em posições estratégicas

Dica 2. Oferecer salários atrativos em posições estratégicas

O salário é um fator de importância para uma geração que preza o sucesso financeiro.

Uma abordagem viável nas empresas pode ser identificar os cargos mais cruciais e oferecer remunerações altas para os ocupantes desses cargos.

Normalmente, essas posições requerem habilidades específicas e estão diretamente ligadas ao cerne das operações da empresa.

Ao mesmo tempo, é vantajoso formar equipes com profissionais em estágios iniciais de suas carreiras e investir em seu desenvolvimento profissional.

Como mencionado anteriormente, os jovens geralmente valorizam mais a satisfação com o trabalho do que apenas o salário.

No entanto, isso não significa que eles não sejam ambiciosos e não se interessem por oportunidades de emprego que ofereçam uma remuneração atraente e a possibilidade de crescimento profissional.

Portanto, conduzir uma pesquisa sobre as faixas salariais em diferentes cargos e oferecer um plano de progressão na carreira podem ser diferenciais importantes para atrair e reter talentos da geração Z.

Dica 3. Feedbacks constantes

Dica 3. Feedbacks constantes

Quando falamos de gerenciamento de pessoas, sempre volta-se ao tema feedback.

Essa estratégia é prioritária tanto para a geração Z quando para os Millennials; apesar de ser um grupo de pessoas com opiniões fortes, a insegurança por estarem sendo recém inseridos no mercado de trabalho faz-se presente.

Sendo comum opiniões como síndrome do impostor ou síndrome da impostora, o feedback cuidadoso e constante dos líderes pode ser uma estratégia eficaz de estímulo e retenção.

Dica 4. Promover a diversidade

Dica 4. Promover a diversidade

Para incentivar a inclusão de profissionais de diversas etnias, gêneros e orientações sexuais, pode-se implementar discussões sobre essas temáticas com os colaboradores, através de campanhas específicas, como:

  • Recrutamento e seleção inclusivos;
  • Palestras exclusivas sobre questões de diversidade, preconceito e preconceitos inconscientes;
  • Programas de mentoria nos quais colaboradores mais experientes orientam e apoiam colaboradores menos experientes, especialmente aqueles de grupos sub-representados;
  • Grupos de afinidade ou redes de colaboradores que se concentram em questões relacionadas à diversidade, como grupos LGBTQIA+, grupos de mulheres, grupos étnicos e outros;
  • Políticas de igualdade salarial;
  • Campanhas sazonais, como o Mês da História Negra, Mês do Orgulho LGBTQIA+, Dia das Mães e Dia Internacional da Mulher;
  • Apoio a causas relacionadas à diversidade e inclusão, como doações para organizações sem fins lucrativos que trabalham nessas áreas;
  • Pesquisas regulares de clima organizacional.

Dica 5. Valorizar os colaboradores

Dica 5. Valorizar os colaboradores

Essa geração preocupa-se essencialmente com a valorização de seu trabalho e dos resultados que promovem, sendo um dos fatores mais importantes de retenção desses talentos.

A valorização pode ocorrer por meio de incentivo ao desenvolvimento de suas carreiras, elogios positivos sobre trabalhos realizados e apoios nos estudos com bolsas ou certificações importantes, assim como treinamentos, palestras e workshops.

Recentemente, focando estimular as competências de nossa content manager, uma das colaboradoras do Guia da Alma que pertencem ao grupo da geração Z, o Guia da Alma forneceu acesso a um curso da Udemy, especializado para sua área, como presente.

Outra forma é capacitando líderes e colaboradores sobre soft skills. Conheça a Plataforma de Saúde Mental para Empresas e Pessoas do Guia da Alma!

Esse incentivo traduz-se num melhor desempenho em suas atividades e maior reconhecimento mútuo, de forma geral.

Dica 6. Ser uma empresa flexível

Dica 6. Ser uma empresa flexível

Os colaboradores desse grupo geracional preferem trabalhar de maneira mais flexível, criando a própria agenda de horários, com autonomia.

Para gerenciar esse grupo, não atenha-se a controle de desempenho, horários rígidos ou tarefas rotineiras. Opte por estabelecer metas e prazos desafiadores, essa é uma linguagem mais interessante para colaboradores dessa geração.

Assim, oferecer formas de trabalho home office ou de trabalho híbrido também são muito bem vindas.

Dica 7. Ter benefícios corporativos atrativos

Dica 7. Ter benefícios corporativos democráticos

Para que o RH atenda às necessidades estratégicas de toda a equipe de colaboradores, é preciso levar em consideração todas as gerações que esse time contém.

Para isso, a utilização de benefícios flexíveis surge como a alternativa que mais condiz com essa nova realidade.

Os benefícios flexíveis, também conhecidos como benefícios cafeteria ou beneflex, referem-se a um modelo de oferecimento de benefícios aos colaboradores de uma empresa, no qual eles têm a liberdade de escolher entre uma variedade de opções de benefícios para compor um pacote personalizado que melhor atenda às suas necessidades individuais e preferências.

Assim, colaboradores que fazem parte da geração X e estejam melhor adaptados às vantagens do modelo presencial, podem seguir com esse formato, por exemplo, enquanto colaboradores mais jovens podem optar pelo modelo remoto.

De forma resumida, as motivações de cada geração podem ser elencadas como:

  • Geração X: estabilidade financeira;
  • Geração Y: qualidade de vida;
  • Geração Z: experiências.

Tendo isso em vista, por que não oferecer um cartão de benefícios flexíveis que contemple todas essas motivações, permitindo que cada colaborador escolha a melhor vantagem para usufruir no seu cotidiano?

Dica 8. Cuidar da saúde mental e emocional

A genZ possui um cuidado presente com a saúde mental e emocional, muito mais latente do que as gerações anteriores.

Não à toa, a preocupação com a síndrome de Burnout torna-se mais evidente, a partir dessa nova geração.

De acordo com os desafios apresentados sobre essa geração em específico, torna-se importante priorizar treinamentos voltados ao estímulo de competências como inteligência emocional, empatia e disciplina para saber trabalhar com a concepção de autoridade e diálogo.

Através dos benefícios corporativos do Guia da Alma, é possível focar no desenvolvimento de soft skills, de acordo com a necessidade de cada geração.

O Guia da Alma oferece soluções em saúde mental para a sua empresa:

  • Plataforma de terapia complementar online;
  • Mapeamento de saúde mental;
  • Dados para o RH;
  • E mais!

Vamos juntos? Conheça:

5/5 - (1 voto)

Fundador e CEO do Guia da Alma. Especialista em Saúde Mental corporativa. Especialista em Terapias Complementares. Palestrante e Instrutor de Meditação Mindfulness para Empresas.

AGENDAR!

6 práticas indispensáveis e acessíveis para criar uma cultura saudável!