Lista de doenças relacionadas ao trabalho atualizada: burnout, depressão e até vício em café!

Entenda os impactos das 165 novas doenças relacionadas ao trabalho.
mulher em lista de doenças relacionadas ao trabalho
Mais terapias de Rodrigo Roncaglio
5/5 - (5 votos)

A lista de doenças relacionadas ao trabalho conta com 165 novas patologias!

Ela foi atualizada pelo Ministério da Saúde em Novembro de 2023 e tem o propósito de aprimorar as medidas de cuidado e vigilância no trabalho, visando a promoção de ambientes mais seguros e saudáveis.

Esta revisão também visa facilitar a compreensão das relações entre problemas de saúde e o ambiente laboral.

Nessa atualização, transtornos mentais como burnout, ansiedade, depressão e tentativas de suicídio estão presentes.

Além disso, houve o reconhecimento de que o uso de certas substâncias, como a cafeína e álcool, podem ser uma consequência de longas jornadas de trabalho e assédio moral.

Desde sua criação em 1999, a lista de doenças ocupacionais no trabalho é dividida em duas partes:

  1. Descreve os riscos associados ao desenvolvimento de doenças;
  2. Doenças para identificação, diagnóstico e tratamento.

Com essa recente atualização, o número de códigos de diagnósticos aumentou de 182 para 347.

O Ministério da Saúde enfatiza que essa atualização reflete a ênfase da nova gestão na saúde do trabalhador e busca fortalecer o papel da coordenação nacional nesse aspecto.

Dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), gerenciado pelo Ministério da Saúde, apontam que quase 3 milhões de casos de doenças profissionais foram tratados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) entre 2007 e 2022.

Destes, 52,9% estão associados a acidentes de trabalho graves.

De acordo com o Sinan:

  • 26,8% das notificações decorrem da exposição a material biológico;
  • 12,2% estão relacionados a acidentes com animais peçonhentos;
  • 3,7% são resultado de Lesões por Esforços Repetitivos (LER) ou distúrbios osteomusculares ligados ao trabalho.

Apenas em 2023, já foram notificados mais de 390 mil casos de doenças ocupacionais.

Neste artigo, confira algumas das 165 novas doenças incluídas na lista de doenças relacionadas ao trabalho atualizada.

Sou Rodrigo Roncaglio, CEO do Guia da Alma: plataforma de saúde mental para empresas e pessoas. Boa leitura!


O que são doenças do trabalho e doenças ocupacionais?

imagem de O que são doenças do trabalho ou doenças ocupacionais

Foto: Jay Yuno – istock

Doenças do trabalho e doenças ocupacionais podem ser definidas como:

  • Complicações de saúde que o colaborador apresenta em decorrência da sua atividade profissional e das condições do local de trabalho.

Segundo o site do Ministério da Saúde:

O Sistema Único de Saúde (SUS) atendeu quase 3 milhões de casos de doenças ocupacionais entre 2007 e 2022, conforme dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) do Ministério da Saúde. A maior parte das notificações, 52,9%, foi relativa a acidentes de trabalho grave.

O levantamento aponta ainda que 26,8% das notificações foram geradas pela exposição a material biológico; 12,2%, devido a acidente com animais peçonhentos; e 3,7% por lesões por esforços repetitivos (LER) ou distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho. Somente neste ano, já são mais de 390 mil casos notificados de doenças relacionados ao trabalho.

Uma pesquisa realizada pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) e Organização Mundial de Saúde (OMS) em maio de 2021, mostrou que jornadas longas de trabalho foram responsáveis por 745 mil mortes por acidente vascular cerebral (AVC) e doenças isquêmicas do coração, em 2016.

Quando pensamos em doenças ligadas ao trabalho, geralmente imaginamos ambientes insalubres de trabalho presencial. Muitas das doenças relacionadas ao trabalho estão ligadas a isso, provocadas pela contínua exposição a substâncias tóxicas e condições impróprias de trabalho.

Por isso, estão na lista das doenças relacionadas ao trabalho, condições como: afecções respiratórias crônicas devidas a produtos químicos, gases, fumaças e vapores.

Porém, não podemos esquecer que o formato de trabalho home office e híbrido também trazem riscos.

Vale também lembrar que existe uma diferença:

  • Doença ocupacional ou profissional: está relacionada ao trabalho em si, às peculiaridades da atividade exercida. Exemplo: catarata desenvolvida em função da luz da solda.
  • Doença do trabalho: diz respeito às condições do ambiente, como por exemplo: surdez desenvolvida devido a exposição a ruídos constantes.

Novas formas de trabalho foram criadas. E claro, novas doenças do trabalho e doenças profissionais também começaram a ser estudadas e reconhecidas.

Em relatório publicado pela Fundação Instituto de Administração (FIA), foi comprovado que muitas das empresas no Brasil aderiram à modalidade remota ou híbrida. Contudo, nem todos os colaboradores possuem uma estrutura adequada, dentro de suas casas, ou preparação, para realizar um bom trabalho.

Dessa forma, devido à situação ergonômica do escritório home office dos colaboradores, algumas doenças surgem, devido à má postura no computador ou lesão por esforço repetitivo.

Tais doenças, por exemplo, são chamadas doenças do trabalho, pois são decorrentes das más condições de trabalho às quais o funcionário é exposto.

Mas a estrutura física não é apenas a única questão. Existem pontos a serem levados em consideração sobre a saúde mental e emocional dos colaboradores.

Segundo um Panorama do Observatório de Segurança e Saúde do Trabalho, transtornos mentais são a terceira maior causa de afastamento do trabalho no Brasil.

A causa principal são doenças psíquicas, como depressão e ansiedade.

Síndrome de Burnout CID-11 se tornou uma doença do trabalho e a estimativa é que 1 a cada 3 profissionais sofra com essa síndrome (PEBMED).

Muitas novas doenças associadas a integridade mental foram adicionadas na lista de doenças relacionadas ao trabalho. Vamos conferir algumas delas?

Quais as principais doenças ocupacionais e do trabalho? E por que elas são tão preocupantes?

ícone de Quais as 10 principais doenças ocupacionais

As principais doenças ocupacionais relacionadas ao trabalho podem variar dependendo do setor, das condições laborais e do tipo de atividades desempenhadas.

De um lado, sabemos que elas são preocupantes pela integridade do colaborador.

Do outro lado, as empresas estão preocupadas sobre como a inclusão de 165 novas patologias na lista de doenças ocupacionais podem trazer sérios riscos empresariais a elas.

Vale lembrar que doenças ocupacionais sempre existiram, e medidas de segurança e prevenção são essenciais no ambiente corporativo.

Para diagnósticos precisos, é necessário o acompanhamento de um profissional da saúde. Além disso, medidas e benefícios que garantam a manutenção da saúde dos colaboradores.

Segundo o Ministério da saúde, a medida tem como objetivo:

  • Orientar o uso clínico-epidemiológico, de forma a permitir a qualificação da atenção integral à Saúde do Trabalhador;
  • Facilitar o estudo da relação entre o adoecimento e o trabalho;
  • Adotar procedimentos de diagnóstico;
  • Elaborar projetos terapêuticos mais acurados; e
  • Orientar as ações de vigilância e promoção da saúde em nível individual e coletivo.

Algumas das doenças ocupacionais mais recorrentes são:

  1. Lesões por Esforços Repetitivos (LER)/Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT): resultam de movimentos repetitivos, posturas inadequadas ou esforços intensos, afetando músculos, tendões e articulações;
  2. Distúrbios Psicossociais: incluem estresse, ansiedade, depressão e síndrome de burnout, geralmente associados a condições de trabalho estressantes, pressão excessiva ou ambientes hostis;
  3. Perda auditiva induzida por ruído: decorre da exposição prolongada a níveis elevados de ruído no ambiente de trabalho, afetando a audição ao longo do tempo;
  4. Lesões na coluna: podem ser causadas por posturas incorretas, movimentos bruscos ou levantamento de cargas pesadas, resultando em dores nas costas, hérnias de disco e outros problemas;
  5. Doenças respiratórias: podem ser ocasionadas pela exposição a agentes químicos, poeiras, gases ou substâncias irritantes presentes no ambiente de trabalho, levando a condições como asma ocupacional e bronquite;
  6. Dermatoses ocupacionais: resultam da exposição a substâncias químicas, materiais ou condições ambientais que afetam a pele, causando alergias, irritações ou dermatites;
  7. Distúrbios visuais: relacionados ao uso prolongado de telas de computador ou condições de iluminação inadequadas, podendo causar fadiga ocular, dores de cabeça e outros problemas visuais;
  8. Doenças transmitidas por agentes biológicos: presentes em ambientes onde há contato com microrganismos, como hospitais, laboratórios ou ambientes de produção de alimentos;
  9. Intoxicações por substâncias químicas: resultantes da exposição a produtos químicos tóxicos, podendo afetar diferentes sistemas do corpo;
  10. Problemas cardiovasculares: relacionados ao estresse crônico, sedentarismo ou fatores de risco agravados pelo ambiente de trabalho.

Estas são algumas das principais doenças ocupacionais, mas é importante ressaltar que a prevenção e a identificação precoce dessas condições são fundamentais para garantir ambientes de trabalho mais saudáveis e seguros.

Lista de doenças relacionadas ao trabalho atualizada: conheça as novas patologias!

imagem de Confira 12 novas doenças do trabalho: exemplos!

Foto: PeopleImages – istock

A lista de novas doenças relacionadas ao trabalho foi dividida em duas grandes partes:

  1. Agentes e/ou fatores de risco com respectivas doenças relacionadas ao trabalho; e
  2. As doenças relacionadas ao trabalho com respectivos agentes e/ou fatores de risco.

Neste artigo focaremos em abordar as doenças ocupacionais ligadas à saúde mental, e doenças psicológicas relacionadas ao trabalho:

  • Um levantamento feito pela Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) mostrou que a falta de saúde mental da equipe provoca uma perda no faturamento das empresas de R$ 397,2 bilhões por ano no Brasil.

Entre alguns dos agentes e fatores de risco Psicossociais no Trabalho, estão:

  • Gestão organizacional: faltas na administração de RH;
  • Contexto da organização do trabalho: deficiência nas formas de comunicação, tecnologia e organização do trabalho;
  • Relações sociais no trabalho: clima, coesão e qualidade das interações; Violência e Assédio moral/sexual, discriminação.
  • Conteúdo das tarefas do trabalho: exigências de carga mental, responsabilidade, entre outros;
  • Condições do ambiente de trabalho: deficiência em aspectos físicos, químicos, etc;
  • Jornada de trabalho: problemas na organização e duração da jornada de trabalho.

Algumas das doenças que fazem parte da lista de doenças relacionadas ao trabalho atualizada, são:

  • F10 Transtornos mentais e comportamentais devidos ao uso de álcool;
  • F15: Transtornos mentais e comportamentais devidos ao uso de outros estimulantes, inclusive a cafeína;
  • F19: Transtornos mentais e comportamentais devidos ao uso de múltiplas drogas e ao uso de outras substâncias psicoativas;
  • F32 Episódios depressivos;
  • F33 Transtorno depressivo recorrente;
  • F41 Transtornos ansiosos, outros;
  • X60-X84 Lesões autoprovocadas intencionalmente (Suicídio).
  • U07.1 Doença causada pelo coronavírus SARS-CoV-2 (COVID-19): exposição a coronavírus SARS-CoV-2 em atividades de trabalho;
  • Z73.0 Esgotamento Profissional (Síndrome de Burnout CID);

Além dessas, confira a lista de doenças do trabalho atualizada pelo Ministério da Saúde, no Diário Oficial da União.

Preocupante, né? Mas para não deixar os seus colaboradores desenvolverem tais doenças, é importante prevenir!

Atenção: dicas para prevenir doenças ocupacionais!

imagem de Atenção: 10 dicas para prevenir doenças ocupacionais

Foto: wagnerokasaki – istock

Prevenir é melhor do que remediar, fique atento!

  1. Incentivar pausas regulares: fazer pausas no trabalho curtas e frequentes para descansar os olhos, alongar-se e movimentar-se, (principalmente se trabalhar por longos períodos em frente a telas de computador), trará bem-estar aos colaboradores;
  2. Orientar sobre ergonomia no trabalho: dicas e orientações sobre o posicionamento do monitor na altura dos olhos, luz e ambiente adequado, por exemplo, são valiosas!
  3. Treinamento e conscientização: eduque os funcionários sobre as práticas seguras de trabalho, técnicas adequadas de alongamento e a importância de identificar sinais precoces de possíveis doenças ocupacionais;
  4. Cultura saudável: tenha nos valores da empresa hábitos que façam bem a todos. Promova uma cultura de respeito e equilíbrio entre vida pessoal e profissional para reduzir o estresse e prevenir problemas com doenças ocupacionais psicossociais.
  5. Exercícios e atividade física: estimule a prática regular de exercícios físicos, pois fortalecem músculos, melhoram a circulação e ajudam na redução do estresse no trabalho;
  6. Acompanhamento médico: incentive exames médicos periódicos para identificar precocemente possíveis problemas de saúde relacionados ao trabalho e garantir intervenções preventivas;
  7. Promova o bem-estar mental: ofereça benefícios de saúde mental para prestar apoio terapêutico aos colaboradores.

A responsabilidade da empresa em promover um ambiente de trabalho saudável vai além do aspecto físico e se estende ao bem-estar mental dos colaboradores.

A implementação de políticas e programas de bem-estar nas empresas, que incluem o acesso a profissionais de saúde mental e ações preventivas, é essencial para criar um local de trabalho que valorize a saúde integral.

Ao oferecer suporte emocional, a empresa não apenas contribui para o bem-estar dos colaboradores, mas também melhora a produtividade e a satisfação no trabalho.

Reconhecemos a importância dessas iniciativas e convidamos você a explorar mais sobre como nossa plataforma pode ajudar a promover um ambiente de trabalho mais saudável e apoiar a saúde mental dos colaboradores.

Guia da Alma é uma plataforma de saúde mental para empresas e pessoas.

Temos como missão guiar pessoas e organizações para que vivam a sua melhor versão, com terapeutas para cuidar, conteúdo para orientar, e tecnologia para facilitar!

Nossa solução conta com:

  • Plataforma de terapia online e conteúdo;
  • Dados e mapeamento de saúde mental;
  • e muito mais!

Conheça a Plataforma de Saúde Mental para Empresas e Pessoas do Guia da Alma!

5/5 - (5 votos)

Fundador e CEO do Guia da Alma. Especialista em Saúde Mental corporativa. Especialista em Terapias Complementares. Palestrante e Instrutor de Meditação Mindfulness para Empresas.

AGENDAR!