Saúde do trabalhador: como mapear na sua empresa e prevenir riscos!

Veja os benefícios de realizar ações para saúde no trabalho.
saude-do-trabalhador
Mais terapias de Rodrigo Roncaglio
5/5 - (1 voto)

A sua empresa já realiza o mapeamento da saúde do trabalhador da equipe?

Já parou pra pensar qual a importância da saúde do trabalhador na empresa?

Neste artigo te mostrarei como realizar esse mapeamento, além de focar nos benefícios de realizar ações para saúde no trabalho e quais os riscos de não promover essas medidas para a sua empresa.

Sou Rodrigo Roncaglio, CEO do Guia da Alma – a solução completa para a Saúde Mental no trabalho. Boa leitura!


A saúde do trabalhador na sua empresa

A saúde do trabalhador na sua empresa

Foto: partystock – Freepik

Quando abordamos o tema saúde do trabalhador, diversos fatores estão envolvidos! Segundo o site do Ministério da saúde:

“A Saúde do Trabalhador é o conjunto de atividades do campo da saúde coletiva que se destina, por meio das ações de vigilância epidemiológica e vigilância sanitária, à promoção e proteção da saúde dos trabalhadores, assim como visa à recuperação e reabilitação da saúde dos trabalhadores submetidos aos riscos e agravos advindos das condições de trabalho.”

Cuidar da saúde no trabalho é proporcionar um ambiente laboral saudável, a fim de que tenha condições de executar suas tarefas da melhor forma possível.

A saúde do colaborador deve ser pauta priorizada dentro da empresa, pois além da saúde estar totalmente relacionada aos níveis de produtividade e  bem-estar do colaborador, ela também evita custos para a empresa, com questões como: afastamentos e trabalhistas.

Quando falamos em saúde do colaborador estamos nos referindo à saúde física, mas também à mental.

Saúde do trabalhador no home office

saúde do trabalhador burnout

No trabalho remoto isso fica mais latente, pois a pandemia, que solidificou essa modalidade de trabalho, também escancarou a pauta de saúde mental dentro das empresas.

Por isso, as pessoas que trabalham em casa devem prestar bastante atenção em como administram o seu tempo e como organizam o ambiente em que trabalham, para que possa haver separações entre os afazeres profissionais e pessoais.

Caso contrário, o colaborador pode sentir-se esgotado, por não definir prioridades e tentar realizar tudo de uma vez, podendo vir a desenvolver problemas de saúde mental, como a Síndrome de Burnout.

Segundo dados da OMS, ISMA e PUBMED, em 2022 a Burnout passou a ser considerada uma doença ocupacional na Classificação Internacional de Doenças (CID-11), onde o Brasil é o segundo país no mundo com mais casos. Estima-se que 1 a cada 3 trabalhadores apresentem sinais dessa síndrome de esgotamento profissional.

Ou seja: é possível dizer que o ambiente físico influencia diretamente na saúde mental do trabalhador.

Reiterando o supracitado, uma pesquisa do enfermeiro Fernando Binotto (Emercor) afirma que o ambiente domiciliar não é projetado para o trabalho, portanto a empresa deve, também, levar em conta a questão ergonômica na saúde de seus profissionais.

Pensando nisso, o Ministério da Saúde criou um Guia de Orientações Ergonômicas para o trabalho remoto, onde o colaborador que trabalha em casa, deve:

  1. Escolher um local confortável, em casa, para realizar o trabalho;
  2. Se há barulhos que incomodam, experimentar colocar uma música para ajudar no processo de concentração;
  3. Tornar o ambiente de trabalho aconchegante, seja decorando com uma planta ou algum outro item;
  4. Se o local for de uso coletivo, combinar horários para cada um utilizar individualmente;
  5. Definir horários para iniciar e finalizar as atividades;
  6. Ter uma rotina: o colaborador deve ter um horário definido para levantar e iniciar as atividades, assim como é indicado não trabalhar com a roupa que dormiu;
  7. Manter uma agenda organizada;
  8. Atentar-se às distrações;
  9. Buscar a empatia na relação com outros colegas de trabalho.

Além disso, o profissional deve estar atento à posição da mesa, monitor e notebook, assim como do corpo (braços, ombros e pernas, punhos e mãos), para que a experiência possa ser mais confortável e satisfatória.

Também deve-se levar em consideração que no trabalho híbrido e remoto há uma restrição maior do contato físico e comunicação, gerando mais ansiedade entre os colaboradores.

Neste momento é que deve-se focar na saúde mental da equipe, estimulado práticas de atividades físicas e socialização, além do oferecimento de benefícios, como terapias para cuidar da saúde mental.

Sabemos que entender quando se está saudável pode ser um conceito complexo, que leva em conta:

  • Interações sociais;
  • Condições de segurança;
  • Fatores psicológicos;
  • Perspectiva de futuro;
  • Qualidade de vida.

Mas o colaborador deve estar atento aos sintomas físicos e de que forma o sistema psíquico está dando sinais de que algo precisa melhorar.

Riscos de não acompanhar a saúde mental do trabalhador

Riscos de não acompanhar a saúde mental do trabalhador

Foto: PerfectWave003 – Envato

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC) revelou em pesquisa que a saúde mental no trabalho afeta diretamente a produtividade e desempenho dos colaboradores, seja negativa ou positivamente.

A OMS estima que os transtornos depressivos e de ansiedade custam US$ 1 trilhão à economia global a cada ano em perda de produtividade. Até 2030 serão 6 trilhões de dólares.

De forma prática, podemos citar alguns riscos de não cuidar da saúde mental e física dos colaboradores:

  • Ficar tanto tempo trabalhando em casa de forma inadequada pode causar lesão por esforço repetitivo (LER), onde a empresa pode ser responsabilizada, já que é uma doença decorrente do trabalho, além de estimular hábitos que vão de encontro ao sedentarismo e estresse. É saudável estipular pausas a cada 1h30 ou quando sentir necessidade, seja para dinâmicas em grupo, realizar alongamentos no corpo, beber água ou para dar uma respirada e evitar o bloqueio criativo;
  • Sem cuidados relacionados à saúde mental, os colaboradores adoecem cada vez mais, prejudicando o seu desenvolvimento e, consequentemente, o da empresa. Em pesquisa da OMS, dados indicaram que as doenças de ordem mental afetam a vida de 30% dos trabalhadores no mundo. Sendo, para os brasileiros, a terceira maior causa de solicitação de auxílio-doença no Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS);
  • Para a empresa, o trabalhador que adoece também significa custos adicionais, como consultas médicas, afastamentos, medicamentos, acompanhamento psicológico e internações;
  • Os problemas ligados à saúde mental geram também custos em absenteísmo, presenteísmo e turnover;
  • Entre outros.

Por isso, a empresa deve criar medidas para prevenção. Dessa forma, uma boa saída é oferecer programas destinados ao cuidado da saúde mental e física dos colaboradores.

Faz sentido para sua empresa? O Guia da Alma oferece:

  • Para o cuidado físico do colaborador: Salas de descompressão online, além de espaços para respirar e conhecer ferramentas como Meditação Mindfulness (Atenção Plena), Reiki em Grupo, Yoga Laboral e Ginástica Laboral.
  • Para o cuidado mental do colaborador: Um espaço de Terapia Online e muito aprendizado para o colaborador ficar bem sempre! Atendimento com Terapeutas certificados, Meditações Guiadas, Testes de Autoconhecimento e muito mais.

Conheça os programas de Saúde Mental para empresas do Guia da Alma!

É importante salientar que de 2020 até 2022, a urgência em trazer o tema da saúde mental para dentro das empresas tem se tornado mais palpável.

Segundo estudo de 2022 da Global Learner Survey, 92% dos brasileiros priorizam empresas que oferecem algum tipo de serviço ou programa voltado às questões de saúde mental.

Recentemente a demanda para contratação de serviços de saúde mental nas empresas, como terapia online, por exemplo, tem aumentado.

Isso corresponde a um plano de ação prático que as instituições estão começando a trazer para a cultura organizacional.

Por isso, é importante mapear como está a saúde dos colaboradores da sua empresa, diminuindo riscos, e aumentando seu bem-estar e produtividade. Vamos entender melhor os benefícios para as empresas:

Benefícios de acompanhar a saúde mental e física dos colaboradores

ícone de benefícios de acompanhar a saúde mental e física dos colaboradores

De acordo com Luciana Lauretti, sócia e especialista de gestão da saúde da Azimute Med:

Pessoas saudáveis e felizes produzem mais. Quando o RH olha e trata com cuidado seus colaboradores, impacta diretamente na equipe, gerando mudanças de postura e engajamento. Isso otimiza custos, gera economia em torno de 30% e traz resultados para a empresa.”

Além disso, segundo estudo da Universidade da Califórnia, um trabalhador feliz é:

  • 31% mais produtivo;
  • 3x vezes mais criativo;
  • 37% mais vendedor.

Os benefícios de cuidar da saúde do colaborador são inúmeras, como:

  • Atração e fidelização de talentos;
  • Maior comprometimento do trabalhador com a empresa;
  • Diminuição de absenteísmo, atrasos e afastamentos;
  • Aumento do bem-estar e produtividade dos colaboradores;
  • Redução de custos com saúde e indenizações;
  • Levantamento de estatísticas e ações preventivas;
  • Redução do índice de esgotamento profissional ou síndrome de burnout CID-11 e ansiedade;
  • Entre outros.

É fato! O relatório intitulado “Tendências Globais de Capital Humano” da Deloitte, mostrou que 61% dos profissionais confirmam que programas de bem-estar na empresa aumentam a produtividade e resultados financeiros.

Como mapear a saúde do trabalhador na sua empresa

Como mapear a saúde do trabalhador na sua empresa

Foto: jacoblund – Envato

É possível mapear a saúde do trabalhador de várias formas em sua empresa, entendendo o que é saúde do trabalhador e tendo a tecnologia a nosso favor, principalmente no trabalho remoto, com várias ferramentas online, como:

  • Termômetro de humor, onde os colaboradores possam registrar diariamente como estão se sentindo;
  • Testes de saúde mental também podem ser uma boa opção para trazer dados à empresa, onde possam ser mapeados os tópicos mais urgentes a serem resolvidos.

Em sua empresa, de forma online, pode-se realizar um questionário anônimo para entender o perfil de sua equipe. Para realizar esse questionário, atente-se a informações como:

  • Dados sobre a rotina de trabalho;
  • Estado geral de saúde;
  • Hábitos alimentares;
  • Hábitos de atividade física;
  • Como anda a saúde mental?;
  • Possui enfermidades?;
  • Possui algum vício em drogas/álcool?;
  • Toma alguma medicação controlada?;
  • Entre outros.

Faça o teste: Saúde Mental nas Empresas: qual a nota da sua?

Você também pode realizar mapeamentos completos para entender como está a saúde da sua equipe com testes com embasamento científico. Um deles é o DASS-21 que mede os níveis de estresse, ansiedade e depressão da equipe, e você encontra nos programas para empresas do Guia da Alma.

Para manter o cuidado com a saúde mental dos colaboradores a sua empresa pode contar com uma parceira para realizar programas de saúde e bem-estar.

O enfermeiro Fernando Binotto (Emercor) orienta:

“Além disso, uma estratégia interessante é realizar busca ativa das mudanças do comportamento, como déficit de foco ou baixa autoestima. Ou ainda, a baixa produtividade, além de diferentes queixas dos colaboradores alocados em ambiente domiciliar.”

Ações para a saúde do colaborador

Ações para a saúde do colaborador

Foto: zamrznutitonovi – Envato

Em relação ao bem-estar no trabalho, a instituição pode oferecer ações práticas:

  • Para cuidar da saúde física: oferecer exames e ações de saúde do trabalhador, como de glicemia e pressão ou calcular o IMC, entre outros;
  • Para cuidar da saúde mental: oferecer benefícios de sessões com terapeutas, que podem ser realizadas como terapia online.

Além disso, a empresa pode oferecer, como propostas para saúde do trabalhador:

  • Incentivar a prática de atividade física entre os colaboradores, podendo ser realizadas atividades em grupo de forma online, como yoga e ginástica laboral, por exemplo;
  • Promover ações de endormarketing voltadas à saúde mental, com conteúdos como o desse artigo e campanhas que podem ajudar os colaboradores a entenderem seus sintomas;
  • Oferecer palestras e workshops sobre o tema com dicas de como ter novos hábitos saudáveis;
  • Implantar um programa de saúde do trabalhador.

Faz sentido para sua empresa?

Conte com o Guia da Alma para investir em saúde mental na sua empresa!

Somos uma solução completa para Saúde Mental no trabalho, desde 2016 ajudando empresas e colaboradores a atingir seu melhor nível de desenvolvimento pessoal e profissional!

Nosso método tem como base Prevenção, Tecnologia, Educação e Descompressão, com ferramentas como:

  • Diagnóstico DASS-21: mapeia o nível de ansiedade, estresse e depressão, onde pode-se analisar se há casos urgentes, além de prevenir que algum caso fique mais grave;
  • Plataforma do Colaborador: para terapia online e conteúdo on demand;
  • Ações Coletivas: como palestras, treinamentos e práticas de descompressão;
  • Mentoria para RH: uma agenda frequente com nossos especialistas para orientar ações estratégicas.

Em nossa proposta, ajudamos você com cálculos reais que demonstram os prejuízos financeiros que uma empresa tem quando não investe no bem-estar do seu time. E os ganhos em ter um programa de saúde mental sólido. Solicite sua proposta nesse link!

5/5 - (1 voto)

Fundador e CEO do Guia da Alma. Especialista em Saúde Mental corporativa. Especialista em Terapias Complementares. Palestrante e Instrutor de Meditação Mindfulness para Empresas.

AGENDAR!

6 práticas indispensáveis e acessíveis para criar uma cultura saudável!