O que é preciso mudar em nós mesmos para que possamos nos curar e evoluir? Acompanhe esta história da terapeuta Maíra Antunes e inspire-se, cure-se!


 

Você já viu o TEDx “Por trás do palco” da artista Flaira Ferro?

Provavelmente você já deve ter visto o vídeo ou, pelo menos, ouvido a música, mas sugiro rever ou então conhecer 🙂

 

O vídeo também te tocou?

Em mim tocou profundamente e, cada vez que vejo, meu coração sente um pouquinho mais…

Tem algo no seu íntimo que te causa desconforto, uma parte do qual você não sabe como resolvê-la (e nem quer saber)?

Já te aconteceu, em uma determinada situação que você agiu, muitas vezes de maneira inconsciente, e percebeu que fez besteira, pois foi justamente essa parte que se expressou… E AGORA, O QUE FAZER?

Pode pedir desculpas, pois várias pessoas que estavam ao redor se sentiram magoadas, feridas. Você mais uma vez briga consigo mesmo, mas segue adiante. Passa um tempo, acontece uma situação parecida e novamente, tudo se repete e nada muda. Passa mais um tempo, de novo acontece. Já se perguntou por quê?

Essa parte se manifesta pois está querendo a sua atenção. Ela quer ser ouvida, reconhecida, cuidada! Não quer ser mais deixada de lado, excluída. Se continuar a negá-la, cada vez mais ela grita. É chegada a hora de olhá-la.

 

Um pouco da minha história

Eu tinha um grande medo de me expor. Sou leonina e muitos dizem que os leoninos querem ser “o centro das atenções”, mas uma parte minha não queria, e era em relação ao meu trabalho.

Imaginem: há 8 anos atrás, uma moça de 23 anos, que tinha acabado de se formar em Naturologia Aplicada, se apresentando como Naturóloga, estando na Grande Florianópolis – SC com seu sotaque do interior de SP (puxo o “R” nas palavras, como porta e verde, e no litoral catarinense as pessoas costumam estranhar), indo em locais para alugar sala ou conhecendo possíveis espaços para atender. As pessoas (grande maioria) perguntavam: “O que é Naturologia?”. Eu, como uma resposta pronta, respondia.

Nesta época, uma amiga e eu sublocamos um espaço. Fizemos tudo bonito: folder, panfletagem, a decoração da sala.. porém o principal, que seria o boca a boca, eu me apresentar para os clientes do local, ah, isso eu não tinha coragem de fazer! Os donos do local faziam isso por mim, me estimulavam a fazer, mas eu não fazia (eu não tinha consciência que não fazia por ter medo).

Passado um tempo, por ter pouca clientela, fechamos. Uma amiga ficou sabendo e me convidou para trabalhar no espaço dela. Eu já tinha atendido algumas pessoas, então estava um pouco mais segura do meu trabalho, mas não para me divulgar. E de que adianta local novo, sendo que a atitude é a mesma?

Comecei atendendo essa minha amiga. Os clientes viam que ela sempre saia da consulta comigo com aparência de bem- estar, tranquila e relaxada e perguntavam o que ela tinha feito. Ela passou então a me divulgar. Outras pessoas conversavam com ela falando que tinham dores, estavam muito estressadas, com dificuldade de dormir e ela prontamente dizia: “Temos uma naturóloga aqui!”! E isso se estendeu por vários anos.

Mas eu sempre tinha uma reclamação interna de que não ganhava o suficiente e queria ter minha independência financeira, mas o que eu estava fazendo para mudar aquela situação? Quais atitudes novas eu estava tendo para ter novos resultados? O que eu não estava querendo enxergar?

Eu não tinha noção que estava evitando olhar para aquela dificuldade. Só olhava para o resultado (poucos clientes e dependência financeira dos meus pais), ao invés de assumir: estou com medo de me expor, medo de ser julgada, medo de divulgar meu trabalho.

 

Aprendendo a me curar

Quando resolvi parar de brigar comigo mesma e assumir tudo isso, reconhecer e olhar para estas fragilidades e que assumir que precisava de ajuda para me fortalecer, a situação começou a mudar!

Ao fazer meu primeiro post de divulgação, tive tantos feedbacks maravilhosos! E eu não tinha noção de como eu era admirada pelas pessoas e que elas reconheciam que meu trabalho é importante. Pude me conectar mais com as pessoas, pude compreender mais as fragilidades dos outros e, principalmente, ajudar mais pessoas.

Percebi que eu só posso levar o outro, até onde eu já fui. Se eu venci medos que me assombravam a tanto tempo, consegui “Me curar de mim”, eu estaria com mais condições de auxiliar outras pessoas a vencerem seus medos e a “curarem de si!”

Minha intenção aqui é te estimular a olhar para o que te incomoda, buscar compreender o que esse desconforto está querendo te dizer.

Tem uma frase que diz: “eu vou para onde o meu medo aponta”. O desconhecido causa medo, mas depois que ultrapassamos sua “barreira”, passamos a olhar para a situação de uma outra maneira. Muitas vezes, é este o caminho que precisamos seguir para evoluir, é por este caminho que nossa alma grita: “VAI POR ELE, É O MOMENTO!”.

“Mas se eu não tiver coragem pra enfrentar os meus defeitos de que forma, de que jeito eu vou me curar de mim? Se é que essa cura há de existir, não sei. Só sei que a busco em mim, só sei que a busco, me curar de mim!”

Flaira Ferro – Me Curar de Mim


Identificou-se com minha história? Saiba como posso te ajudar!

Entre em contato comigo!


 

Receba o Guia da Alma no seu e-mail!

Conteúdos para a sua evolução da consciência, uma vez por semana.




Compartilhe!

Maíra Antunes

Naturóloga, Alquimista e Terapeuta Floral

icones 5
icones 0

Paulista, aos 19 anos mudou-se para Santa Catarina para fazer a faculdade de Naturologia Aplicada, onde aprendeu a importância do cuidado com o outro e consigo, ao longo dos anos, participa de atividades onde possa desenvolver mais seu autoconhecimento, abordagem mais empática e acolhedora, sempre seguindo seu coração, os sinais e as conexões que, lindamente, o Universo coloca em seu caminho.

Apaixonada e realizada no que faz, trabalha há mais de 8 anos com as terapias complement...

Comente! Queremos saber o que você pensa.