Deusa Afrobrasileira Iemanjá: a Rainha do Mar!

Receba as bençãos de Iemanjá!
Yabá Iemanjá: rainha do mar!

Iemanjá é a rainha do Mar! Deusa afrobrasileira celebrada em 2 de fevereiro em toda a costa brasileira!

Vamos conhecer mais sobre esta poderosa Yabá?

Sou Marisilda Brochado, Enfermeira Obstétrica, Terapeuta Holística, Master Reiki, Canalizadora do SEA – Sistema de Energização Axé. Boa leitura!


 

Iabá, Yabá ou Iyabá significa Mãe Rainha em iorubá. É o termo dado aos orixás femininos Yemanjá e Oxum.

No Brasil esse termo é utilizado também para definir todos os orixás femininos (Oya, Obá, Nanã e Ewa), em geral em vez do termo Obirinxá, que seria o termo mais correto.

Iemanjá é a rainha do mar e das águas. Também é chamada de “Afrodite brasileira”: a grande Deusa afrobrasileira “facilitadora” dos amores. Por isso, é muito solicitada em casos de desafetos, paixões conflituosas, desejos de vinganças. Tudo pode ser conseguido se Iemanjá abençoar!

Iemanjá exerce fascínio, pois traz o esteriótipo da beleza feminina: longos cabelos negros, feições delicadas, corpo escultural e muito vaidosa.

 

Yaba Iemanjá: a Rainha do Mar

Yabá Iemanjá: rainha do mar!

Ilustrações de Orádia Porciúncula

Iemanjá tem poder sobre o mar e quem entra em suas águas. É venerada e respeitada por pescadores e todos aqueles que vivem no mar, pois a vida dessas pessoas está em suas mãos.

Segunda a lenda, é ela quem decide o destino de quem adentra seu reino marítimo: praias, enseadas, golfos e baías. A tranquilidade do mar e a ocorrência de tempestades também estão sob o seu domínio.

O significado de Iemanjá é “mãe cujos filhos são peixes”. É considerada a Deusa das Águas, mãe de vários outros Orixás.

No Brasil também é conhecida como: Janaína, Iara, Sereia do Mar, Rainha do Mar, Inaê, Deusa do mar, Rainha dos pescadores, Mãe d’agua, entre outros. Pelo mundo também recebe outros nomes como: Yemoja na Nigéria e Yemayá em Cuba.

Em janeiro contei aqui a história do Orixá Oxalá (Nosso senhor do Bonfim), casado com Yemanjá. Neste artigo vamos nos dedicar à Yemanjá, a Yabá mais popular do Brasil!

Iemanjá é homenageada nas festividades do dia 02 de fevereiro em toda costa brasileira. E a celebração mais tradicional não poderia deixar de ser em Salvador!

A Festa de Yemanjá faz parte das comemorações do calendário afro-brasileiro, sendo Yemanjá uma divindade de origem africana. Vamos conhecer sobre suas festividades e a origem delas?

 

História e origem da Festa de Iemanjá no Brasil e no mundo!

festa de iemanjá em salvador

Foto: G1

A celebração baiana a Iemanjá tem origem em 1923. Diante dos fracos resultados das pescas, um grupo de pescadores resolveu oferecer presentes à Iemanjá – que é considerar a padroeira dos pescadores.

A oferenda deu resultados: os peixes voltaram a aparecer! E desde então presentes e homenagens são feitos para Iemanjá como forma de agradecer e pedir fartura na pesca.

O culto a Yemanjá foi trazido ao Brasil nos séculos XVIII e XIX pelo povo iorubá, uma das maiores etnias do continente africano, concentrado especialmente na Nigéria.

Na África, Yemanjá é uma divindade das águas doces e rios. Está associada à fertilidade das mulheres, à maternidade e ao processo de continuidade da vida.

No Brasil, especialistas contam que Yemanjá (e outras Orixás ligados à maternidade, como Oxum e Nanã), foram associadas às sereias do paganismo europeu, às diferentes nominações de Nossa Senhora, e às iaras ameríndias (variante das sereias).

iemanjá - sereia das águas, mares e rios

Mesmo sendo considerada a Rainha do Mar, Yemanjá no Candomblé continua sendo saudada com a expressão africana “Odoiyá”, que significa “mãe do rio”.

Além disso, no Brasil, foram atribuídas duas características notórias para Iemanjá: a de rainha que controla as marés, das quais depende a vida do pescador; e também a de personagem sedutora, que atrai o pescador para amá-lo ou matá-lo.

 

Festa para Yemoja na Nigéria

festa de iemanjá na Nigéria

Foto de Halimat Bamgbopa

Em Ibadan, capital do estado de Oyo na Nigéria, são realizados cultos e celebrações de Yemanjá como deusa padroeira, sendo reverenciada no antigo templo conhecido como Popo-Yemoja.

Em seu cortejo anual celebram-se quatro aspectos que  enfatizam a importância da Yabá Iemanjá:

  1. O poder da maternidade e dos princípios feminino: ela é a geradora do panteão do mundo Iorubá. Tem seios e quadril voluptuosos, retratando mulheres de poder e graça;
  2. A função sociológica que gera durante a sua festividade;
  3. O fervor espiritual ou cosmológico da celebração, que traz sentimento de transcendência, abrindo o coração e a mente para o mais alto ser espiritual;
  4. Ela é reverenciada como uma deusa da fertilidade.

Seu templo, construído com barro de acordo com a arquitetura tradicional iorubá, é  rodeado com uma varanda de colunas de madeira esculpidas e policromadas. Suas paredes são decoradas com motivos de peixes, samambaias, lírios de água, tartarugas e caracóis.

O cortejo acontece em três dias de cantos e dança. O ponto culminante é quando estátua de Yemanjá em madeira é levada de seu templo Popo-Yemoja para o palácio real de Olubadan. A procissão segue para Oja-Oba, onde uma multidão aguarda a sua chegada entoando cânticos.

 

Festa de Iemanjá em Salvador e Brasil

festa de iemanjá em salvador

As homenagens à Yemanjá espalham-se por todo o mundo e por toda a costa brasileira.

A festa de Iemanjá no bairro do Rio Vermelho, na orla marítima de Salvador, é considerada a maior manifestação religiosa pública do Candomblé no país, além de ser uma das mais bonitas e populares. Chega a reunir cerca de 200 mil pessoas.

Outra grande festa ocorre em Rio Grande e Pelotas – RS, devido ao sincretismo com Nossa Senhora dos Navegantes. As embarcações param e são recepcionadas por umbandistas que carregavam a imagem de Yemanjá, proporcionando um encontro ecumênico assistido da orla por várias pessoas.

 

Como agradar Iemanjá?

oferença flores a iemanjá

Durante a celebração de Iemanjá os devotos, vestidos de branco e azul, entregam oferendas, para agradecer ou então para realizar pedidos ou promessas.

Diz a lenda que se os presentes afundam, a Rainha do Mar aceitou a oferenda. Se permanecem na superfície ou voltam à orla, o presente foi recusado.

Em função da quantidade de objetos diversos oferecidos e levados ao mar (como espelhos, velas, jóias, bonecas) que são de difícil decomposição, os babalorixas e as yalorilorixas recomendam que sejam evitados presentes de plásticos e vidros. Indicam as flores e objetos feitos a partir de materiais naturais, com a intenção de preservação da natureza.

Iemanjá também é celebrada durante o Réveillon. Logo após a passagem do dia 31 de dezembro ao 1° de janeiro, devotos (ou não do candomblé e umbanda) costumam pular sete ondas, oferecem flores brancas no mar fazendo pedidos de prosperidade e agradecendo a Iemanjá.

 

Orixá Iemanjá: qualidades e símbolos

símbolos de iemanjá

Iemanjá – Dia da semana: sábado | Dia do ano: 2 de fevereiro 

Saudação a Iemanjá: Odoya

Iemanjá Cores: branco,azul e prata

O que Iemanjá gosta de receber? Rosas brancas e perfumes (faça suas oferendas de preferência entregues no mar)

Comida: Manjar branco e canjica branca

Simbologia: Âncora e estrelas do mar

Iemanjá no Sincretismo religioso: Nossa Senhora de Candeias, Nossa Senhora dos Navegantes, Nossa Senhora da Conceição, Nossa Senhora da Piedade e a Virgem Maria. O seu arquétipo maternal consolidou-se sobretudo como Mãe de todos os Orixás.

 

Canção para Iemanjá

Ye ye Yemanjá rainha das ondas sereia do mar

Como é lindo o canto de Yemanjá,

Faz até um pescador chorar

Quem escuta a Mãe d’agua cantar

Vai com ela pro fundo do mar

 

Iemanjá: história e mitologia

Mãe de quase todos os Orixás, Iemanjá também é a deusa da compaixão, do perdão e do amor incondicional. Iemanjá deu origem às estrelas, nuvens e aos seus filhos: Xangô, Oiá, Ogum, Ossaim, Obaluaê e os Ibejis.

Iemanjá tem dois arquétipos:

Yemanjá Sessu: Casada com Oxalá, ela é o arquétipo da maternidade. Outras vezes Iemanjá continua bela, mas pode apresentar-se como a Iara, metade mulher, metade peixe.

orixá oxalá e yabá iemanjá

Yemanjá Ogunte: Casada com Ogum. Ela é o arquétipo da guerreira, participa das batalhas com Ogum.

iemanjá ogunte e ogum

 

Conexão e Bençãos de Yemanjá: 3 dicas preciosas!

iemanjás grávidas

Agora vou te indicar 3 dicas de como se conectar com a energia e o arquétipo de Yemanjá para receber suas bênçãos:

  1. Experimente olhar-se no espelho logo pela manhã, contemple seu corpo inteiro, admire-se, elogie-se e aceite-se como ele está. Se quiser alguma mudança no seu visual, trace um plano para atingir seus objetivos e se precisar procure ajuda profissional;
  2. Procure abençoar pelo menos uma gestante que você conhece ou não, com um abraço ou uns minutos de atenção e escuta, lembrando da grande Mãe Yemanjá;
  3. Tente dedicar um tempo do seu dia, da sua semana, do seu mês ou do seu ano, para compartilhar seus conhecimentos, talentos ou o que você tem de melhor com outras pessoas.

Gostou das dicas? No próximo mês escreverei sobre outra Yabá. Me ajuda a decidir qual escolher? Obá, Oya ou Oxum? Qual sua preferida? Deixe nos comentários!

 


Por amor e reverência aos nossos ancestrais, canalizei e desenvolvi um método de tratamento e cura, abençoado pelos Orixás e Yabás, denominado SEA – Sistema de Energização Axé.

Saiba mais sobre: Sessão de SEA (Sistema de Energização Axé): uma terapia leve e poderosa para você se reconectar com seu poder pessoal!

Neta de Benedita e Antonio,Zilda e João, Filha de Marina e João Gilberto, Mãe de Tainah,Cauê e Maira, Avó de Luã Kaiodê. Canalizadora do SEA - Sistema de Energização Axé,Curandeira,Parteira,Terapeuta Holistica,Reiki Master.

AGENDAR!

Atende online

Agende uma sessão de SEA!

Estou te esperando!