Employee Experience: torne a experiência do colaborador memorável!

Da atração à retenção, saiba como implementar uma estratégia eficaz.
mulher em employee experience
Mais terapias de Rodrigo Roncaglio
5/5 - (2 votos)

Aperfeiçoar a Employee Experience tem sido uma estratégia do RH para melhorar a retenção e satisfação da equipe.

Ela pode ser definida como um conjunto de sentimentos e percepções do colaborador sobre os benefícios de trabalhar em determinada empresa.

Nesse artigo vamos entender melhor esse conceito e como tornar a experiência do colaborador memorável em cada etapa da jornada.

Saiba como a employee experience pode ampliar o sucesso da sua empresa!

Sou Rodrigo Roncaglio, CEO do Guia da Alma – a solução completa para a Saúde Mental no trabalho. Boa leitura!


O que é employee experience? Significado

Employee Experience (EX) ou experiência do colaborador é um termo que significa criar um experiência significativa e prazerosa no dia a dia de trabalho, que faça o colaborador sentir-se bem e motivado a permanecer naquela empresa.

Acolher os colaboradores e humanizar os processos, é entender que as urgências emocionais impactam diretamente na produtividade e engajamento no trabalho.

Em termos práticos: valorizar o humano gera retenção de talentos e redução do turnover dentro de uma empresa.

Na visão do setor de Recursos Humanos isso significa:

  • Ter o colaborador como foco das decisões a serem tomadas;
  • Proporcionar ações, dentro da empresa, que visem o bem-estar da equipe.

É preciso levar em conta, enquanto RH, que o bem-estar do colaborador não é apenas um pacote de benefícios mensal, mas o que a empresa vivencia e transmite.

A cultura organizacional é reflexo diário da experiência do colaborador. Isso significa que os valores transmitidos pelos fundadores, líderes e gestores da empresa influenciam diretamente em como a equipe irá pensar e se sentir, impactando, diretamente, no clima organizacional.

Parece óbvio dizer que se preocupar com a equipe de funcionários seja diretamente proporcional aos resultados da empresa, mas não é isso que os números dizem.

De acordo com um estudo da Social Base, apenas pouco mais de 13% das instituições afirmam estar disponíveis para investir em estratégias voltadas para o público interno.

O RH de uma empresa engajada e humanizada encara a experiência dos funcionários através da análise dos perfis e do que a empresa tem condições de oferecer para eles, naquele momento.

Para entender quais são as necessidades da sua equipe, realize pesquisas internas para saber o que eles desejam ou sentem falta. Tente estar mais próximo das pessoas e compreender as dores delas.

De acordo com a Deloitte, para que o conceito de employee experience seja bem incorporado é preciso que as empresas possam:

  • Promover desenvolvimento mais rapidamente;
  • Movimentar as pessoas mais regularmente;
  • Ofertar ciclos contínuos de promoção;
  • Fornecer mais ferramentas aos funcionários;
  • Entre outros.

Não existe fórmula padrão: as pessoas apenas querem se sentir bem no seu trabalho.

Qual a importância do employee experience?

O sucesso da empresa é medido através da performance de cada funcionário. Ou seja: só é possível alcançar as metas se os colaboradores estiverem se sentindo produtivos e engajados.

Para garantir o bem-estar dos funcionários e, portanto, garantir o sucesso da instituição, é preciso investir em estratégias de retenção de talentos, trazendo práticas que tenham foco em proporcionar um clima agradável no trabalho.

A employee experience management é um conceito diretamente ligado à gestão de pessoas e lideranças. 

Muitas empresas focam todos seus esforços em CX (customer experience / sucesso do cliente), mas poucas têm focado em EX (employee experience / sucesso do colaborador).

Após entender, hoje, as consequências da ausência de direcionamento de estratégias para o público interno, as empresas começaram a focar na experiência do colaborador e como ele pode se tornar mais produtivo, levando em conta que:

“Produtividade é minimizar, cientificamente, o uso de recursos materiais, mão-de-obra, máquinas, equipamentos etc. para reduzir custos de produção, expandir mercados, aumentar o número de empregados, lutar por aumentos reais de salários e pela melhoria do padrão de vida, no interesse comum do capital, do trabalho e dos consumidores.” Japan Productivity Center for Social — Economics Developement

Em outras palavras: para que a empresa tenha lucro ela deve focar no bem-estar não apenas do cliente, mas também do funcionário.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Universidade da Califórnia, um trabalhador feliz é:

  • 31% mais produtivo;
  • Três vezes mais criativo;
  • Vende 37% mais em comparação com outros.

Além disso, oferecer uma employee experience de qualidade, também melhora a retenção e reputação da empresa.

Um exemplo de empresa que conhecida por aplicar uma boa estratégia de employee experience é o Airbnb, que buscou aplicar a essência e imagem da empresa não apenas para os clientes, também ao seu time interno.

Momentos memoráveis e experiências únicas passaram a fazer parte do dia a dia da equipe, com iniciativas voltadas para hospitalidade, pertencimento e acolhimento. E benefícios em alimentação saudável, flexibilidade para trabalhar de onde quiser e créditos para viagem.

Com essas iniciativas, o Airbnb se tornou uma empresa disputada para se trabalhar.

Já deu pra entender que a experiência do profissional é muito importante, né? Vamos ver agora quais são as vantagens práticas desse conceito e, mais adiante, te darei dicas de como implementá-lo no setor de RH. Vem comigo!

Vantagens de investir na experiência do colaborador

Segundo Jacob Morgan, escritor e estudioso do tema na era do engajamento, as vantagens de investir na EX são:

  • 28x maior probabilidade de ser uma das Fast Company’s Most Innovative Companies;
  • 11,5x maior probabilidade de ser uma Glassdoor’s Best Places to Work;
  • 4,4x maior probabilidade de estar na lista LinkedIn (North America’s Most In-Demand Employers);
  • 2,1x maior probabilidade de estar na lista Forbes (World’s Most Innovative Companies);
  • 2x maior probabilidade de constar na American Customer Satisfaction Index.

Quer mais vantagens práticas na rotina da empresa? Vou listar alguns:

Melhora o clima organizacional da empresa

O clima organizacional é o resultado direto da dinâmica entre colaboradores e empresa.

O clima no ambiente de trabalho deve ser pauta da gestão, sempre priorizando o diálogo e a compreensão, tendo em vista que um ambiente com uma carga de conflitos muito grande é fator que impacta em demasiado na produtividade.

É preciso que sempre haja conversas e escuta ativa, priorizando as necessidades individuais de cada membro da equipe, ao mesmo tempo em que isso dialogue com o bem-estar coletivo.

Pareceu confuso? Na prática, isso significa:

  • Prezar por uma comunicação assertiva não-violenta com escuta ativa, principalmente na dinâmica do líder com o colaborador;
  • Propor reuniões com práticas de integração com toda a equipe, através de plataformas online, como Zoom ou Google Meet;
  • Intercalar reuniões mais relaxantes e descompromissadas com as mais técnicas e com apontamentos;
  • Às vezes é melhor nem fazer uma reunião: manda um e-mail;
  • Entre outros.

Reduz o índice de turnover e absenteísmo

Uma empresa humanizada agrada os colaboradores. Quem não deseja continuar trabalhando em um lugar que seja agradável?

Focar no bem-estar dos funcionários garantem que eles queiram permanecer na empresa, e ela não precisa mais investir em novos processos seletivos, diminuindo os gastos com rescisão de contrato ou treinamentos de onboarding.

Cuidar dos funcionários também é cuidar das despesas da empresas e administrá-las de forma inteligente.

Além disso, os profissionais que sentem-se bem na instituição demonstram isso com o próprio engajamento. Participam mais das reuniões, mostram-se mais produtivos e menos estressados, reduzindo os índices de síndrome de burnout cid.

Promove a marca empregadora

Outro conceito que anda lado a lado com o employee experience é o employer branding, ou seja, a preocupação com a marca do empregador.

Esse conceito segue o mesmo movimento de transição que o RH do futuro está realizando, focando em ações mais estratégicas. Enquanto isso, o employer branding foca nas ações adotadas pela empresa para potencializar a imagem de que é um lugar que proporciona bem-estar no trabalho.

Em um tempo tão tecnológico como o atual, a marca do empregador tem ultrapassado a etapa de conversão de venda, significando a sua relação com toda a sociedade. O que a marca pratica diz e repercute muito mais sobre ela do que qualquer estratégia de marketing.

Assim, os melhores talentos estarão querendo fazer parte do seu time.

Como implementar uma estratégia de Employee Experience Journey?

Irei te apresentar agora um plano de ação para te explicar como implementar essa estratégia em cada ponto da jornada do colaborador. Você pode criar um controle sobre onde se encontra cada colaborador!

1. Atração

Momento inicial em que a pessoa conhece a empresa (pode ser através da recomendação de um colega, do site da empresa, ou das redes sociais, por exemplo).

Nesse ponto é importante revisar: qual a mensagem que a empresa comunica? Em alguma comunicação é mostrado como é o dia a dia da empresa? O trabalho dos colaboradores é reconhecido publicamente? A empresa mostra os benefícios que oferece e as vantagens em trabalhar ali?

2. Recrutamento e seleção

O processo seletivo também demonstra muito sobre a empresa.

É interessante que a descrição das vagas seja humanizada (evitando desigualdade de gênero, por exemplo)

No momento do primeiro contato com o recrutador e da realização da entrevista, é importante alinhar as expectativas que se tem sobre aquela vaga.

Em caso de feedback positivo ou negativo, é importante comunicar as pessoas envolvidas no processo seletivo.

3. Onboarding

Na comunicação do candidato para a vaga, faça uma boa recepção e alinhe o que é necessário para a pessoa iniciar.

No primeiro dia da empresa, é importante ter preparado um treinamento e integração. Além disso, oferecer a infraestrutura necessária e alinhar sobre quais são os princípios e objetivos da empresa.

E que tal surpreender? Já presenciei empresas que oferecer kits com brindes. Em parceria com o Guia da Alma, nossos clientes oferecem uma sessão de relaxamento para começar a nova jornada de trabalho com bem-estar.

Com certeza, será um dia inesquecível para o colaborador 🙂

É importante que, nos primeiros dias, o profissional também seja acompanhado por um responsável para dar instruções, tirar dúvidas e verificar seu desempenho. Ter playbooks bem construídos também evite erros iniciais.

4. Desenvolvimento

Em toda a jornada do colaborador, é importante que ele sinta que está contribuindo, aprendendo e evoluindo para se manter engajado.

Ter uma forma de acompanhar a evolução e implementação das demandas é motivador. Faz o colaborador sentir que seu trabalho está valendo a pena!

Pesquisas de feedback e clima organizacional também ajudam a entender como está o nível de satisfação dos colaboradores, e se há riscos de pedidos de demissão.

Além disso, incentivar o autodesenvolvimento (através de treinamentos e benefícios de saúde mental) e o bom relacionamento com os colegas, faz ele se sentir mais acolhido.

Sabia que a gente pode te ajudar? O Guia da Alma oferece Treinamento para Líderes e colaboradores, para seu time manter a saúde mental sempre em dia e desenvolver suas soft skills!

5. Promoção e retenção

Ter um plano de carreira, que incentive o crescimento e reconhecimento dentro da empresa, é animador e ajuda na retenção.

Isso pode ser feito através de diversas maneiras, como:

  • Oportunidade para novos cargos e promoções;
  • Reajustes na remuneração;
  • Reconhecimento por entregas e metas alcançadas;
  • Incentivos para liderar projetos internos;
  • Prêmio por x tempo na empresa;
  • Oferta de novos benefícios, dentre outros.

Benefícios ligados à saúde mental são primordiais para garantir a etapa de retenção, pois focam no bem-estar e equilíbrio emocional do colaborador.

Hoje, dentre as principais buscas dos colaboradores, estão empresas que ofertam qualidade de vida e benefícios em saúde mental.

Faz sentido para você?

Aqui no Guia da Alma oferecemos diversas possibilidades para manter o bem-estar da equipe elevado, como: práticas, palestras online e terapias complementares. Conheça nossa solução completa de saúde mental para empresas!

Extra: Separação

Os ciclos fazem parte da vida. Em algum momento o colaborador será: desligado, pedirá demissão ou se aposentará.

E por que essas experiências também não podem ser positivas?

Fazer um desligamento humanizado, mostrando tudo que o colaborador fez até o último dia da empresa, é uma forma de reconhecer sua dedicação, e fechar o ciclo com uma boa experiência.

[Bônus] Mais dicas para o employee experience

Para finalizar, dois pontos muito importantes:

A responsabilidade pelo employee experience

Você pode se questionar: de quem é a responsabilidade pelo employee experience

Quem deve tomar a atitude de investir em ações para que a empresa proporcione qualidade de vida para os colaboradores?

Segundo uma pesquisa da HSM realizada na América latina:

  • Quase 76% dos líderes sabem que a melhoria da experiência do trabalhador é importante;
  • Contudo, apenas 33% das empresas agem com foco nessa estratégia.

Em termos práticos: é preciso que o setor de RH e os líderes e executivos se reúnam em conjunto para promover ações de EX, em alinhamento. Assim, a estratégia será mais eficaz.

Como criar um ambiente de trabalho agradável

Para criar um ambiente de trabalho mais agradável, é preciso oferecer bem-estar.

Uma pesquisa da Global Learner Survey mostrou que 92% dos brasileiros priorizam empresas que oferecem algum tipo de serviço ou programa voltado às questões de saúde mental.

Outra pesquisa recente da FIA Employee Experience (FEEx) mostrou que 2 em cada 3 empresas consideradas “incríveis para trabalhar” valorizam vida pessoal.

Ou seja, adotam práticas para equilibrar a vida pessoal com a profissional, incentivando além do trabalho, outras atividades como: pausas, atividades físicas e programas de saúde mental.

Agora que você já sabe a importância do bem-estar no ambiente de trabalho, saiba que o Guia da Alma pode te ajudar.

Somos uma solução completa para Saúde Mental no trabalho, desde 2016 ajudando empresas e colaboradores a atingir seu melhor nível de
desenvolvimento pessoal e profissional!

Nosso método tem como base Prevenção, Tecnologia, Educação e Descompressão, com ferramentas como:

  • Diagnóstico: com ferramentas de dados para saúde mental;
  • Plataforma do Colaborador: para terapia online e conteúdo on demand;
  • Ações Coletivas: como palestras, treinamentos e práticas de descompressão;
  • Mentoria para RH: uma agenda frequente com nossos especialistas para orientar ações estratégicas.

Conheça os programas de Saúde Mental para empresas do Guia da Alma!

5/5 - (2 votos)

Cofundador e CEO do Guia da Alma. Instrutor de Meditação Mindfulness para Empresas. Tenho diversas formações na área terapêutica como Reiki e Thetahealing. Ajudando a melhorar a saúde mental nas empresas!

AGENDAR!

As Terapias Holísticas e Integrativas são complementares à medicina alopática, e não devem substituir nenhuma consulta e/ou tratamento médico.
Atenção: este site não oferece tratamento ou aconselhamento imediato para pessoas em crise suicida.
Em caso de crise, ligue para 188 (CVV) ou acesse o site www.cvv.org.br. Em caso de emergência, procure atendimento em um hospital mais próximo.
Política de Privacidade | Termos de Uso
Copyright © 2018 Guia da Alma. Todos os direitos reservados.
Feito com Luz e Amor em Florianópolis!
Por InCuca
Precisa de Ações para
Setembro Amarelo na empresa?

Achou! Palestras, Rodas de Conversa e Práticas de Saúde Mental para engajar seu time!