Autoconhecimento profissional: descubra seu Perfil no trabalho!

Identificar seu perfil comportamental pode ser a chave para o sucesso e realização na vida profissional.
autoconhecimento profissional no trabalho
Mais terapias de Camila Manzano
4.9/5 - (9 votos)

Você já refletiu ou se questionou sobre a importância do Autoconhecimento Profissional?

Em meio a tantas responsabilidades da vida adulta e correria do dia a dia, muitas vezes nos encontramos em um piloto automático onde vivemos uma rotina profissional insatisfeita, sem ao menos nos questionarmos o que poderíamos fazer para melhorar, não é mesmo?

Descobrir quem somos profissionalmente pode nos libertar deste sentimento, já que nos permite ser quem queremos, sem a frustração de seguirmos um caminho que não nos faz feliz.

Chegou a hora de ir em busca do seu sonho profissional, de encontrar uma profissão onde possa sentir-se pleno e mostrar o melhor de você!

Quer conhecer mais sobre os 4 Perfis Comportamentais e entender como funciona a análise de perfil comportamental? Vem comigo!


 

O que é autoconhecimento Profissional?

Autoconhecimento Profissional

Foto: Anthony Shkraba – Pexels

O autoconhecimento profissional consiste na conscientização de suas habilidades. Dos seus pontos fortes e fracos relacionados às suas competências profissionais.

Conhecer a fundo o seu potencial profissional proporciona uma melhor adequação de sua colocação no mercado de trabalho, permitindo que você busque com mais clareza o seu lugar certo, realizando aquilo que você faz melhor.

E também te elucida sobre o que deverá ser melhorado de acordo com as suas pretensões de carreira, entendendo tipos de conflitos que você pode vivenciar no ambiente de trabalho e como se livrar deles.

autoconhecimento profissional é fundamental para quem deseja ter mais felicidade, realização e sucesso na carreira.

É um processo de autodesenvolvimento, descoberta de virtudes e potenciais.

Para entendermos melhor a importância do autoconhecimento profissional, vou compartilhar com vocês um resumo da minha trajetória profissional. Vamos lá!

 

Minha história profissional

História Profissional

Foto: Peter Olexa – Pexels

Antes de me tornar terapeuta, atuei durante 15 anos no mercado financeiro em uma grande corporação. Sim, recebia um excelente salário que pagava um estilo de vida onde podia fazer o que queria, nas horas livres, claro.

Cheguei no lugar que desejava com dois anos de carreira, meu salário pagou minha casa própria, roupas, restaurantes, passeios, viagens e tudo mais que uma pessoa de classe média pode desejar.

Tenho certeza de que você que está lendo esse artigo, logo conclui que eu tinha uma vida profissional e financeira bem sucedida, não é mesmo?

Pelo menos era o que a maioria das pessoas do meu convívio achavam. O fato é que esse bom salário, que pagava por um estilo de vida ‘livre’ de fato não conseguiu comprar o mais importante: a verdadeira sensação de liberdade

Eu cumpria cargas horárias regulares, estava submetida a um sistema hierárquico antiquado e tinha uma pobre atuação profissional, no quesito de utilização dos meus talentos.

Rezava para que o tempo passasse rápido e chegassem, enfim, as minhas férias. Eu tinha uma semi depressão todo final de domingo, assim como uma semi histeria de felicidade toda sexta-feira. Vivia tendo ideias maravilhosas de novos trabalhos que poderia exercer fora dali e me libertar daquela algema de ouro que me prendia.

Mas quando empolgadamente levava as minhas ideias audaciosas para ponderações de pessoas da minha confiança, as respostas não eram nada encorajadoras e se assemelhavam a algo do tipo: 

  • “Você está maluca, por que mudar?”
  • “Antes o certo do que o incerto.”
  • “Ah Camila, você nunca está feliz com nada, você irá mudar e continuará assim, insatisfeita eterna.”

E assim foi, ano após ano que permaneci no mesmo local, com as mesmas insatisfações, cristalizando a minha ‘segurança’ e derretendo os meus sonhos.

Ah, se eu soubesse que existia um tal de negócio chamado de Análise de Perfil Comportamental! Ficou curioso pra saber? Então bora lá que te explico!

 

Autoconhecimento profissional com análise

Autoconhecimento Profissional Assessment

Foto: Rachel Claire – Pexels

Desde a antiguidade vemos estudos tentando classificar os padrões de comportamento humano, e em um caminho evolutivo essas teorias foram destrinchadas e são atualmente aplicadas ao ambiente profissional.

Naturalmente que cada ser humano é único, mas dentro dessa modalidade de análise, o padrão de comportamento é visto dentro de quatro modelos que, ponderadamente, tenderá a manifestar um tipo específico de maneira de agir e interagir com o mundo.

A análise de Perfil comportamental vai reunir esse delineamento do perfil específico de um indivíduo com o momento/ambiente profissional que ele está inserido.

Seria quase que uma numerologia do mundo profissional, pois traz um profundo nível de autoconhecimento no que tange os talentos, dificuldades e preferências de atuação.

Através dele você consegue entender não só os seus recursos e dificuldades, como também descobrir que tipo de trabalho e ambiente profissional pode realmente te completar e te fazer feliz.

 

Os 4 Perfis Comportamentais de Assessment

Perfis Comportamentais Assessment

Foto: Samson Katt – Pexels

Vamos conhecer agora 4 perfis comportamentais. Existem vários métodos e análises comportamentais.

Hoje vamos conhecer uma delas: Assessment.

Com qual você mais se identifica? Esse é um importante passo para o autoconhecimento profissional!

Os perfis de Assessment estão divididos em:

 

1. Executor

profissional-executor

Foto: Andres Ayrton – Pexels

Um executor é uma pessoa ativa, otimista, leve e dinâmica. Líder nato, não tem medo de assumir riscos e de enfrentar desafios. É trabalhador e tem uma enorme disposição física. Também demonstra muita determinação e perseverança.

Caracteriza-se pela força de vontade. De forte raciocínio lógico/dedutivo. Aprecia desafios e os obstáculos o estimulam a agir cada vez mais. Tem autonomia, independência e sabe se impor aos demais. É autoconfiante e tem características de líder.

Pode ser autoritário e um tanto quanto inflexível. Acredita no seu ponto de vista, por isso, “luta” pelas suas ideias.

Tende primeiro a executar, para depois pensar em como fazê-lo. Para tarefas rápidas que necessitem de iniciativa e determinação, o executor poderá ser a pessoa mais indicada, desde que ninguém se coloque a sua frente, pois este certamente será atropelado por esse perfil.

Pessoas com Perfil Executor: Abilio Diniz, Romário, Hillary Clinton e Bernardinho.

 

2. Comunicador

Perfil Comunicador

Foto: Andrea Piacquadio – Pexels

Os comunicadores são extrovertidos, falantes, ativos e não apreciam monotonias, se adaptando com facilidade a diferentes ambientes.

Esse tipo de perfil tem facilidade na comunicação e passam de um assunto a outro com rapidez, gostam de trabalhos que envolvam movimentação e autonomia.

Eles precisam do contato interpessoal e de um ambiente harmonioso, entretanto, não gostam de passar despercebidos. São amigos de todos, atuando melhor em equipe, sendo também vaidosos, amando ter projeção pessoal e social.

É imaginativo e tem sentimento artístico. Apresenta rapidez e agilidade em suas atitudes. Os comunicadores são festivos, animados e descontraídos, gostam de viajar e sair, essas características os tornam mais sociáveis com pessoas do mesmo grupo. São extremamente comunicativos e alegres, e tendem a ser líderes. 

Pessoas com Perfil Comunicador: Paulo Gustavo, Hebe Camargo, Silvio Santos e Will Smith

 

3. Planejador

Perfil Profissional Planejador

Foto: Verschoren Maurits – Pexels

Os planejadores são pessoas calmas, tranquilas, prudentes e autocontroladas.

Gostam de rotina e atuam em conformidade com normas e regras de um ambiente, por isso sentem-se bem quando estão acompanhadas de pessoas mais ativas e dinâmicas.

Decidem sem pressão e frequentemente com bom senso. São flexíveis, seu caráter e ritmo são constantes e disciplinados.

São pacientes, observadores, passivos e tem boa memória, mas podem carecer de aptidões criativas. Em situações emergenciais, agem com tranquilidade. O planejador é introvertido, mas de fácil relacionamento e bem equilibrado.

Este profissional planeja a melhor forma de executar uma tarefa antes de iniciá-la. Após o início, o planejador seguirá por conta própria até o fim.

Pessoas com Perfil Planejador: David Beckham, Michele Obama, Brad Pitt e Madre Teresa de Calcutá.

 

4. Analista

Analista Perfil Comportamental

Foto: Tima Miroshnichenko -Pexels

Características dos gênios, os analistas são preocupados, rígidos, porém calmos. Seu comportamento com as pessoas é discreto e tendem a ser pessoas caladas e retraídas.

Sua grande desvantagem é o pessimismo, porém possuem facilidades na arte por serem mais sensíveis. Apresentam também agilidade, inteligência e intelectualidade.

Têm habilidade com tarefas detalhadas ou de improvisação rápida. Preferem atuar com estímulo dos demais.

Geralmente é o tipo de funcionário leal e comprometido com o trabalho. Gosta de “surpreender” e é sensível a críticas magoando-se com certa facilidade. É intuitivo, curioso e tem inteligência verbal.

Observa as oportunidades e apresenta soluções momentâneas para problemas urgentes.

Por ser extremamente perfeccionista, deve ser monitorado até o fim de uma atividade, devendo ser constantemente estimulado para que vença a fase do pensar e do fazer, necessitando de reforços de aprovação, pois sempre pensa que seu trabalho está inacabado.

Pessoas com Perfil Analista: Bill Gates, Albert Einstein e Henry Kissinger

 

E aí, com qual Perfil Comportamental você mais se identificou?

Todos nós possuímos esses quatro perfis presentes em alguma medida e será a proporção de cada um deles que ‘traduzirá’ o nosso perfil específico.

 

Qual a importância do Autoconhecimento Profissional?

Autoconhecer Profissional Imporância

Foto: Ivan Samkov – Pexels

A verdade é que muitas vezes, no fundo, já sabemos quem somos, nossos talentos e o que mais gostamos de fazer, mas por algum tipo de ‘insanidade mental’, ficamos tentando nos encaixar em um lugar que não é nosso, ou seja, insistindo em fazer caber uma bola em um quadrado.

Podemos inclusive apelidar essa ‘insanidade’ como ‘luta pela sobrevivência’, uma decisão tomada em algum momento da nossa vida achando que era aquele o ‘único-caminho-plausível’ para pagar as contas, uma crença limitante. Enfim, aqui também entraríamos em uma arena (digna inclusive de outro artigo!).

Entendo, ainda assim, que a possibilidade de plena realização profissional soa como um verdadeiro mito para a maior parte da população terrestre. Seguirei, portanto, contando de que forma essa análise pode ser útil para você.

Além do seu retrato pessoal de acordo com os perfis acima, a análise ainda traz o seu comportamento atual no seu meio externo indicando o seu nível de autoestima, adequação ao cargo e função, sua motivação e energia no trabalho e indica o que pode estar errado na sua vida profissional.

E também, o caminho das pedras para que você possa buscar uma atuação que se adeque mais ao seu tipo de personalidade.

Na análise ainda podemos encontrar o subtipo de perfil profissional para que você saiba a sua ‘zona de conforto profissional’, que seriam funções profissionais que você pode exercer que irão explorar os seus talentos, sem drenar a sua energia e autoestima.

Voltando ao exemplo da análise que fiz nos meus últimos anos de pré transição de carreira: meu perfil é de comunicador-executor, sou empreendedora, informal, gosto de novidades e de pessoas, mas a minha vida profissional não me dava espaço para isso, sendo previsível, mecanizada e engessada.

O meu teste revelou uma alta inadequação dos meus talentos para o meu cargo, baixa autoestima e baixo nível de energia. Assim como confirmou que eu tinha talento de sobra para seguir uma carreira independente, de preferência fora de uma estrutura profissional clássica e corporativa. 

Ter a confirmação de quem somos é libertador porque nos livra de passarmos uma vida exigindo da gente aquilo que não podemos dar e nos direciona para focar naquilo que realmente somos bons. Não estou dizendo com isso que o resultado do teste é um atestado para não nos desenvolvermos no que somos falhos.

Pelo contrário: entender as nossas próprias fraquezas nos permite sermos mais ponderados e cuidadosos nesses pontos, lançando mão de ajuda externa, se assim se fizer necessário, garantindo, dessa maneira, resultados ainda melhores em nosso desempenho. 

Para finalizar, gostaria de acrescentar que aqui ressalto a importância de realizar uma análise de perfil comportamental para melhor explorar as nossas habilidades na escolha de um cargo/profissão.

Mas ele também é excelente instrumento para entendermos aquilo que precisamos melhorar e desenvolver quando almejamos uma ascensão profissional, ou uma recolocação no mercado.

Serve para balizar uma transição de carreira, mas também é super útil para as empresas analisarem, dentre os candidatos, qual terá melhor desempenho no cargo ofertado.

No ambiente corporativo, a análise de perfil comportamental permite que um bom colaborador que pode estar no cargo equivocado se realoque, aproveitando melhor os seus talentos em uma outra posição, evitando a sua baixa produtividade ou, no pior dos casos, uma dispensa.

Vamos descobrir qual seu perfil comportamental e potencialidades? Agende uma Análise de Perfil comportamental no Guia da Alma 🙂

4.9/5 - (9 votos)
As Terapias Holísticas e Integrativas são complementares à medicina alopática, e não devem substituir nenhuma consulta e/ou tratamento médico.
Atenção: este site não oferece tratamento ou aconselhamento imediato para pessoas em crise suicida.
Em caso de crise, ligue para 188 (CVV) ou acesse o site www.cvv.org.br. Em caso de emergência, procure atendimento em um hospital mais próximo.
Política de Privacidade | Termos de Uso
Copyright © 2018 Guia da Alma. Todos os direitos reservados.
Feito com Luz e Amor em Florianópolis!
Por InCuca