Prathyahara: como controlar os sentidos, segundo o Yoga!

Dicas para quem busca ser Mestre de si mesmo!
Prathyahara - Yoga - Meditação

É possível controlar os sentidos? Vamos descobrir o que o Yoga fala sobre o assunto com Prathyahara!

Estou feliz em estar aqui para compartilhar o que sei (e o que estou sempre aprendendo) sobre Yoga com você!

Eu sou Priscila Almeida, instrutora de Yoga em Palhoça. Também atendo com Reiki e Thetahealing online pelo site Guia da Alma e presencial em Palhoça. Veja meu perfil do Guia da Alma para saber mais e me chame para batermos um papo 😉


 

Prathyahara: a quinta parte do Yoga

as 8 partes do yoga de Patanjali

O mestre Patañjali, um sistematizador do Yoga, que viveu há cerca de 3 mil anos, dizia que há oito passos (partes, etapas) que podem ser incorporados na vida das pessoas que se interessam por Yoga. São eles:

  1. Yamas: preceitos éticos;
  2. Niyamas: preceitos morais;
  3. Ásanas: posturas físicas do Yoga;
  4. Pranayama: exercícios respiratórios absorvedores de prana (energia vital);
  5. Prathyahara: ponte que liga o externo e o interno, com controle absoluto dos órgãos e abstração dos sentidos;
  6. Dharana: manter a concentração;
  7. Dhyana: contemplação meditativa;
  8. Samadhi: iluminação.

Em artigos anteriores, já tratei cada Yama e Niyama em textos exclusivos a fim de que você possa entender a dimensão desta tradição milenar. Confira aqui:

Ficou claro como é atual toda a informação que os iogues daquela época disseminavam e como tudo isso faz sentido nos dias de hoje!

Hoje vamos falar sobre o quinto anga (passo, parte) do Yoga: Prathyahara, que consta nos Yoga Sutras de Patañjali.

Perceba que os angas anteriores – Yamas, Niyamas, Ásana e Pranayama – são fatores externos e mais físicos. No entanto, Prathyahara é o elo destes angas até os três finais – Dharana, Dhyana e Samadhi -, os quais tratam da concentração, meditação e iluminação (auto realização).

Portanto, Prathyahara é, ao mesmo tempo, muito relevante e desafiador.

 

Prathyahara: controle dos sentidos

Prathyahara - Yoga - Equilíbrio

Fotos: Pexels

Prathyara significa retração dos sentidos.

Em sânscrito, Prati é uma preposição que significa “contra”ou “fora” . Ahara é “comida” ou “algo que você coloca para dentro”.

Desta forma, Prathyahara é o controle das influências externas. Isto é, recolher os cinco sentidos a fim de ampliar a autopercepção. 

Você sabia que nossas ações são governadas por nosso subconsciente na maioria das vezes? Estudiosos e experts na área de terapias energéticas alegam que somos governados 88% pelo subconsciente e apenas 12% pelo consciente.

Já reparou que muitas vezes atrai pessoas e situações indesejadas para sua vida?

Praticar Prathyahara seria usar a energia que gastamos com o mundo externo com a nossa interiorização, e assim, alcançar um estado meditativo e mais lúcido.

Os sentidos da visão, audição, tato e paladar são insaciáveis, por isso, estão sempre nos distraindo. Ao praticar Prathyahara, percebemos que eles não são o que somos verdadeiramente e, muitas vezes, eles nos levam para longe da nossa verdadeira essência devido a essa insaciedade e distração que nos trazem.

 

Como praticar Prathyahara

Prathyahara - Yoga - Shavasana

Fazer jejum é uma forma de Prathyahara, se entregar durante uma aula de Yoga.

Livrando-se de pensamentos e se conectando aos pranayamas e ásana de forma desapegada, é Prathyahara.

Deixar o corpo realmente  atingir um estado de relaxamento profundo durante o shavasana no final de uma aula de yoga, é Prathyahara.

Escolher que atitude tomar e qual pensamento ter ao invés de apenas a reagir a atitudes e situações alheias é Prathyahara.

Longe das montanhas e de uma vida monástica, Prathyahara é quando entramos em contato com questões inconscientes e saímos do automático.

Ao praticá-lo, vamos ganhando mais autonomia, pois nossas escolhas deixam de ser impulsivas e agimos de acordo com nosso Atman (alma).

Entendo que é nesse recolhimento que realmente entramos em contato com nosso Eu superior e suprimimos o ego que está sempre sedento por algo externo, o qual nunca o saciará de fato.

Pratique Yoga!

Instrutores Guia da Alma estão te esperando!

 

Minha história com Prathyahara

priscila-almeida-yoga-guiadaalma

Esse tema sempre foi para mim muito controverso, cheguei a pensar em virar monja na época que me formei como instrutora de Yoga, assim teria mais tempo sozinha e em Meditação e não teria a necessidade de estar em contato com as influências do mundo sensorial.

Este desejo foi tão forte, que cheguei a receber um convite para trabalhar numa ecovila junto a uma monja e sua equipe (veja como é forte o pensamento da gente!).

No entanto, eu não aceitei, pois sentia que gostaria de trabalhar com Yoga, e ainda assim, ter uma vida como o de uma “pessoa normal”, com um relacionamento afetivo, com idas ao cinema e tudo o que o Ocidente nos oferece. Percebi que não seria feliz imitando uma vida dos Himalaias, esse não era meu Dharma (propósito verdadeiro).

Então, como eu poderia praticar Prathyahara de maneira correta dentro deste mundo frenético?

Fiz e ainda faço jejuns alimentares e percebi como eu fico mais alerta sem a distração da comida e como meu corpo adora pausas e se restabelece após esses jejuns.

Deixei de ver os noticiários da televisão. Às vezes sinto-me alienada, mas sempre quando algo muito importante acontece, fico sabendo porque alguém me conta (risos).

Há momentos no meu dia que costumo desligar o wifi e ficar sem as notificações e bate-papos, nem com as estimulações das mídias sociais.

Outra maneira de praticar o Prathyahara é ouvir alguém sem ter a pretensão de responder… As pessoas, muitas vezes, somente desejam alguém que as ouçam com empatia, então controlo o impulso de falar.

Enfim, há muito o que se aprender sobre Prathyahara e dividi isso com você não por ser uma recomendação, foi apenas para mostrar que Prathyahara é possível dentro de uma vida contemporânea e com pequenas atitudes rotineiras. 

 

As 4 formas de Prathyahara

Prathyahara - Yoga - Meditação

Conheça as quatro formas principais de Prathyahara e prepare-se para praticar agora mesmo a que melhor lhe desafiará:

Indriya pratyahara – Controle dos sentidos

Dei vários exemplos aqui, então, comece a verificar: como você tem se alimentado, com quais tipos de alimentos, com quais pessoas tem se relacionado, quais músicas tem ouvido e quais programas de TV e filmes tem assistido? Eles nutrem ou apenas distraem?

Prana pratyahara – Controle do prana

É feito por meio do pranaymas, por isso, é necessário procurar um instrutor de Yoga para guiá-lo neste aprendizado. O prana (energia vital) é o combustível da mente. Então, praticar Pranayamas corretamente é crucial dentro de uma vida onde se valoriza a tradição do Yoga.

Karma pratyahara – Controle da ação

Suas atividades são positivas ou não? Sabe dizer não? Age pensando somente em você? Tem o sentimento de coletividade?

Mano pratyahara – retirada da mente dos sentidos

Quando consegue controlar e melhorar a qualidade dos três anteriores, consegue-se a maestria do Mano Prathyahara. Mano = mente

 

Como vimos nesse e nos artigos anteriores sobre os Oito Angas de Patañjali, tratam-se de desafios audaciosos para qualquer ser humano.

Ao realizar a leitura desses artigos, você percebe o quão profundo o Yoga é e que aquela ideia de sentar e meditar não é Yoga na sua totalidade. Por trás de toda a banalização da meditação e do Yoga, há conceitos fundamentados e sólidos.

Você se dá conta que além das posturas de Yoga que são muito populares, há uma ciência/arte tradição que procura nada mais, nada menos, que lhe auxiliar a ser o Mestre de si mesmo!

Instrutora de Yoga e Terapeuta Reikiana e Tethahealear®.

AGENDAR!

Atende online

Pratique Yoga!

Instrutores Guia da Alma estão te esperando!