House of Flowers: reconexão com o Sagrado Feminino

Um convite para sentir e empoderar seu ser sagrado.
house-of-flowers-gne-curitiba-2018-

É chegado o tempo de expelir toda cultura equivocada sobre o estereótipo de ser mulher. House of Flowers é um convite para sentir e empoderar seu ser sagrado feminino! Um ritual conduzido por Sweet Medicine Nation para o desabrochar interno.


 

Repetidas vezes o termo “SAGRADO FEMININO” bate a porta e se apresenta à círculos de mulheres. É tema de cursos e workshops, define “algo” que se almeja alcançar. Um termo que remete a uma antiguidade infinita…

 

A busca

Na vida contemporânea a mulher ainda busca fora de si algo que caracterize a essência do ser feminino.

Uma história contada há 4 mil anos atrás pautava a essência feminina na identidade deífica, dos templos construídos para Deusas à adoração da natureza, dos ciclos lunares ao ritmo das estações. A vida cotidiana movimentava-se de acordo com estes ciclos e ritmos. Sentia-se mais… havia mistério. A relação com a natureza era reverenciada, bem como a união entre o homem e a mulher.

 

O patriarcado

Com o passar dos anos e a imposição de crenças religiosas, o patriarcado se instaurou com ainda mais força e estabeleceu um canal para consolidação da frequência masculina na Terra. As Deusas foram transformadas em santas e o princípio feminino corrompido.

A vitalidade e o poder criativo da mulher foi posto em cheque e o equilíbrio que deveria existir dentro do ser masculino & feminino foi por água abaixo.

O nível de insatisfação interna cresceu, o estresse surgiu e o vazio existencial se pronunciou. A mulher sabia que era diferente do homem mas não sabia no que tal diferença consistia. Até aqui, ela ainda tinha o poder feminino nas mãos, mas não seu reconhecimento. Então, se perde completamente.. Desaprende a ser na essência e inicia a busca por identidade. Esbarra no culto ao masculino, que detém a necessidade de poder sobre o outro, em uma sociedade viril.

 

A desconstrução

Nesse momento há uma desestabilização das 5 fases da criação: inspiração, concentração, organização, implementação e manutenção; dentro dela e o mundo externo e interno a devoram. O pensar passa a ser intelectual e não mais sensitivo, o vazio de si deprime, o trabalho desagrada, o prazer cansa… tudo é fadiga, desgosto, medo de fracassar… morte da empatia inata.

Cria-se algo que não é vida, mas que inibe a vida, que limita a criatividade de ser, desconstrói o poder de criação e forja na memória do esquecimento a sabedoria original, o contato da mulher com seu ventre, a cumplicidade uterina.

 

O poder interno

É importante ressaltar que cada época tem sua qualidade própria, entretanto, o resgate do poder interno sobre si, sua vida e sua realidade é atemporal. A capacidade de parir é nata à mulher, bem como, seu ciclo menstrual. Construir e manter a cumplicidade com o ventre, é vital!

guia-da-alma-House of Flowers-sweet-medicine-nation-mae-terra-curitiba-2018-

Sweet Medicine Nation

Na atualidade, sagrado feminino infere a reconquista da complementação da polaridade divina e humana e para tal há que se resgatar a sacralidade de si. A sociedade que se espera construir na era feminina que se anuncia é a matrifocal: é a sociedade do reconhecimento da vida, do empoderamento, da potência em si, da autonomia energética e frequencial, da unidade no amor. A mulher que respeita o sagrado feminino tem uma ligação muito forte com a criação, com o mistério da vida… com a Terra, que é seu útero que germina e gera na mais plena consagração.

 

House of Flowers

O corpo como templo divino é o que preconiza a House of Flowers, ou Casa das Flores, um ritual de iniciação para mulheres conduzido por Sweet Medicine Nation, que acorda a memória esquecida para relembrar o ser sagrado que sempre fomos, e reestabelecer a intimidade com o ventre criador. É desabrochar da mulher em poder sobre si!

house-of-flowers-sweet-medicine-nation-curitiba-2018-sagrado-feminino

House of Flowers – Curitiba 2018

Segundo Sweet Medicine Nation é chegado o tempo de expelir toda cultura equivocada, implantada e herdada, sobre o estereótipo de ser mulher. Uma expulsão honesta e clara! Compreender o corpo e lidar com as partes dele que não gostamos, lidar com o ciclo menstrual e com o útero é parte do que é experienciado na House of Flowers.


Temos que nos apaixonar por nosso poder interno novamente ao invés de recuarmos diante dele.

Um ritual que a princípio parece simples, mas a medida que inicia empodera, encoraja, mostra o caminho de volta ao lar… a iniciação é uma comunhão, um comprometimento consigo mesma e com a transformação que se quer ver no mundo.

Veja o depoimento de Flávia Brotto falando sobre como sentiu-se bem vinda, acolhida e na frequência do amor na House of Flowers 2018:

 

Sweet Medicine Nation no Brasil

Sweet Medicine Nation é Mulher Medicina com mais de 35 anos de experiência facilitando vivências para tomada de consciência e reconexão profunda com a natureza, com o espírito, com as estrelas e com o sagrado. Anciã e portadora de conhecimentos nativos dos povos Chicksaw, Chocktaw e Lakota.

Sweet Medicine vem sempre ao Brasil trazendo vivências ancestrais para nossa reconexão. Acompanhe as novidades e participe!

 


 

Leia também:

Argilina, Terapeuta Estelar, Instrutora de Yoga. Idealizadora e produtora do Veia Cilídrica e do Circuito Sweet Medicine Nation 2019!

AGENDAR!

Presencial em Curitiba