Carregando.
Aproveite a pausa e respire fundo!

Este artigo faz parte da série: Um Tarot para a Nova Era.


 

Tradicionalmente a Torre (o Arcano nº XVI) é uma das cartas mais temidas do baralho, pois costuma ser interpretada como a destruição da estrutura do consultante.

Esta carta geralmente é associada com doenças no corpo físico, cataclismos, castigos, projetos interrompidos no mundo profissional e/ou mental, rupturas e separações definitivas no plano amoroso, perdas econômicas e/ou de emprego, quebra do patrimônio, catástrofes e guerras, que chegam de uma maneira impactante e imprevista. E o que é pior: nada podemos fazer contra esses acontecimentos.

guia-da-alma-tarot-para-a-nova-era-a torre-tarots-tradicionais

Temos aqui uma interpretação que não ajuda em nada uma pessoa a crescer, apenas o contrário. Mais uma vez o Tarot tradicional alia-se com toda uma série de manipulações que, de diferentes ângulos, tratam de deixar o ser humano sentindo-se nas mãos de forças externas, contra as quais nada pode fazer além danar-se e aguentar.

No Tarot de Marselha esta carta chama-se “A Maison Dieu” ou seja, “A Casa Deus”. Alguns estudiosos afirmam que este era o nome de certos hospitais-mosteiros que, na Idade Média, acolhiam peregrinos, pobres e doentes. Outros autores dizem que os hospitais eram chamados “Hôtel Dieu” e não “A Maison Dieu”. Hotel e Hospital procedem da palavra latina “hospes”: que dá hospitalidade.

Mais tarde, a carta passou a intitular-se “A Torre fulminada pelo raio” ou simplesmente “A Torre”. Na grande maioria dos baralhos vemos uma torre coroada a ponto de se desmoronar, impactada por um raio que cai do céu.

guia-da-alma-tarot-para-a-nova-era-a torre-tarots-tradicionais-2

No entanto, se observarmos os Tarots de Noblet, Dodal e Nicolas Conver, veremos que eles passam a ideia de que o raio sai da torre e vai ascendendo em direção ao céu, sugerindo a liberação de uma tensão interna, que foi acumulada. Ou um incêndio no interior da torre do qual as pessoas fogem, como é o caso do Tarot de Minchiate Etruria (1725). Além disso, a Torre remeteria a um símbolo fálico.

 

Um Tarot para a Nova Era: a Torre

Crowley mostra uma torre sendo destruída desde cima por um raio que surge do olho de Shiva (o princípio da Destruição na trimurti hindu). E também desde baixo, pelos alicerces, por causa do fogo que vomita da mandíbula aberta do deus romano da morte: Dis.

guia-da-alma-tarot-para-a-nova-era-a torre-crowley-tower

A Torre – Thoth Tarot de Aleister Crowley

As figuras humanas dos outros baralhos aqui se geometrizam, se enrijecem ao identificar-se com o papel de guardiões da torre, da qual eram seus prisioneiros.

Se a ordem, a construção, a estabilidade e a organização são caraterísticas do nº 4, quando multiplicamos ele por si mesmo dando o 16 (número da carta deste Arcano), estamos forçando o pêndulo e criando a força oposta que o empurra para a destruição, a desordem e a desorganização.

Crowley desenvolve a ideia de libertação como significado da carta: A emancipação da prisão da vida organizada.

Eu interpreto a carta da Torre como a liberação das prisões, de tudo aquilo que sufoca e limita – seja externo, como vínculos profissionais, exigências financeiras, compromissos familiares ou relações amorosas (que de amorosas não têm mais nada); ou prisões internas das quais a mais asfixiante é o ego, essa falsa personalidade que se desenvolve quando o eu verdadeiro não o pode fazer.

É como uma camisa de força que diz: “Eu sou assim e tenho que ser assim. E tudo o que não combina com a fachada que construí para ser aceito e não voltar a passar pelas situações que me fizeram sofrer no passado, não deixo passar”.

Se a pessoa, pelo motivo que for, opta por permanecer na prisão em vez de dinamitá-la, essa tensão interna vai se acumulando e pode explodir, destruindo seu corpo físico ou sua estrutura material.

 


Quer libertar-se das prisões da vida?

Agende uma sessão de Tarot Terapêutico comigo!

guia-da-alma-tarot-para-a-nova-era-a-torre-crowley-tower-daphne-hutcheson-

The Tower: Daphne Hutcheson


 

Leia também:

 

Receba o Guia da Alma no seu e-mail!

Conteúdos para a sua evolução da consciência, uma vez por semana.




 

Dê uma nota!

Veet Pramad (Enrique Amorós Azpeitia)

Estudioso do tarot desde 1980, criou em 1987 o conceito de “Tarô Terapêutico” a partir de várias abordagens – Osho, bioenergética, processo Fisher-Hoffmann, etc. e de suas experiências em dez anos de viagens: Índia, Nepal, Tailândia, México, Peru, etc. Autor dos livros “Curso de Tarô e seu Uso Terapêutico” e “Tarô e Numerologia. Desafios e Lições de Vida” editados no Brasil, Portugal e México. Fundou a “Escola Internacional De Tarô Terapêutico” com alunos na Espanha, Portugal, México, Chile, Colômbia, Argentina e Brasil, onde dá cursos presenciais e online.

Deixe seu comentário e contribua com a troca

O Guia da Alma é o Portal que conecta pessoas e Terapeutas para uma vida mais leve com Terapia Holística e Integrativa online ou presencial em todo Brasil!

Descubra também o Autoconhecimento, Espiritualidade e Bem-estar no conteúdo original do nosso blog!

Receba o Guia da Alma no seu e-mail!

Conteúdo para a sua evolução de consciência.

As Terapias Holísticas e Integrativas são complementares à medicina alopática, e não devem substituir nenhuma consulta e/ou tratamento médico.
Atenção: este site não oferece tratamento ou aconselhamento imediato para pessoas em crise suicida.
Em caso de crise, ligue para 188 (CVV) ou acesse o site www.cvv.org.br. Em caso de emergência, procure atendimento em um hospital mais próximo.

Política de Privacidade | Termos de Uso
Copyright © 2018 Guia da Alma. Todos os direitos reservados.
Feito com Luz e Amor em Florianópolis!