Como você passou os últimos meses da sua vida?

Ocupado, trabalhando e sentindo o tempo passar cada vez mais rápido?

Quando foi a última vez que parou para meditar, encarar-se no espelho, refletir sobre sua missão de vida ou mesmo para compreender seus sentimentos?

Vivemos em um mundo material, correndo contra o tempo e acabamos deixando de lado um elemento essencial: o caminho do nosso autoconhecimento.

Somos seres dotados de racionalidade, mas são as emoções que constroem nosso humor, personalidade e caráter. Por isso, precisamos compreender como elas agem dentro de nós!

Cada sentimento é essencial e complementar ao outro. Como saberíamos o que é felicidade se não tivéssemos sentido a tristeza, por exemplo? Devemos saber viver nossas emoções, para compreendermos e darmos valor a cada uma delas, a fim de encontrarmos equilíbrio emocional e darmos espaço aos bons sentimentos.

O mundo nos ensinou que devemos ser fortes de um modo errado. Não somos fortes pelas nossas posses ou insensibilidade. No Caminho da Vida, forte é a pessoa equilibrada, que exprime suas emoções; que é repleta de bons sentimentos; que evoluiu e adquiriu sabedoria para lidar com a vida.

Quanto mais interiorizamos e escondemos nossos sentimentos, mais densos eles se tornam e se transformam. É nesse ponto que a amargura, o rancor e a tristeza se encontram e explodem as crises e doenças.

E quando ficamos doentes, qual a primeira coisa que fazemos?

Buscamos a solução mais rápida e fácil para acabar com essa doença que está atrapalhando a vida. Porém, por mais eficaz que a medicina ocidental e seus remédios possam parecer, ela tende a curar apenas nosso físico (exterior). Nossos sentimentos, nossa alma (interior) permanecem machucados.

Devemos compreender que grande parte das doenças são males que acumulamos ao longo de nossas vidas e para resolvê-las, devemos encontrar a origem! A doença pode estar vindo de várias fontes: um trauma na infância, um ambiente de trabalho pesado, um término de relacionamento, uma convivência ruim com um familiar ou mesmo uma preocupação que não nos deixa descansar nem fazer nossas refeições.

A vida e o nosso corpo enviam sinais de alerta de que algo está desequilibrado, mas muitas vezes não ouvimos e/ou não sabemos compreender esses alertas. Ninguém nos ensinou de fato a traduzir essas mensagens, pois cada indivíduo percebe e reage ao mundo e se sintoniza com seu corpo-mente-espírito de modos diferentes.

Cada um de nós deve aprender a identificar e entender as próprias dores, medos, tensões, angústias e sofrimentos. Devemos estar abertos para receber mensagens do nosso corpo: elas podem vir em forma de intuição, sonhos, energias, sensações físicas e premonições. Devemos estar abertos também para buscar outras terapias que possam nos auxiliar a encontrar o foco do problema e a superação dele.

Precisamos conhecer a nós mesmos. O caminho da cura é o da autocura e do autoconhecimento.

 

Receba o Guia da Alma no seu e-mail!

Conteúdos para a sua evolução da consciência, uma vez por semana.




Compartilhe!

Liana Chiaradia

Cofundadora do Guia da Alma, designer e reikiana.

icones 6
icones 0

Designer gráfico e ilustradora de profissão, ariana por natureza, cofundadora do Guia da Alma de coração. Apaixonada por música, artes e culinária. Eterna viajante, acredita que a beleza da vida está em novos horizontes, nos pequenos detalhes e na conexão com o Universo.

...

Comente! Queremos saber o que você pensa.