A ascensão espiritual e as doenças

Conecte-se com seu maior aliado: seu corpo!
Doenças - guia da alma

Muitas pessoas estão, de forma consciente ou não, em processo de desenvolvimento espiritual. Algumas estão despertando, enquanto outras, já estão nessa jornada por alguns anos.

No tempo de cada um, a alma vai seguindo seu caminho para expandir cada vez mais a consciência e elevar a vibração das pessoas que estão escolhendo um novo paradigma, um novo mundo.

E, muitas vezes, nesse caminho aparecem as doenças, os desconfortos, que nos fazem questionar se estamos mesmo nos movendo para frente ou dando um passo atrás.

Questões que achávamos que já tínhamos resolvido, aparecem novamente, manifestando-se e trazendo consigo frustração e dúvida.

A verdade é que isso é comum, é normal e faz parte do processo de limpezas e reprogramações que estamos fazendo. Nosso corpo físico demora mais para se ajustar às novas frequências, por isso é importante dar atenção a ele, com carinho e paciência.

As doenças são sempre uma bandeira vermelha. É causada por um bloco de energia em um dos nossos corpos. Nossos corpos são o corpo físico, corpo emocional, corpo espiritual e ego. O bloco principal geralmente é causado pelo medo.

Pode ser o medo do fracasso, medo de ver o que realmente está acontecendo, o medo do nosso poder, o medo de se torna vulnerável, o medo de ser rejeitado, e muito mais.

A maneira de trabalhar com as doenças e identificar o bloco é, em primeiro lugar, localizá-lo.

Se, por exemplo, o problema for no estômago, este se localiza no plexo solar, nosso centro de poder pessoal e nossa exposição no mundo. Pode significar que estamos lidando com medos nessa área ou que não estamos digerindo algo que está ocorrendo.

Se a questão for os olhos, talvez não estamos querendo ver algo em nossa vida ou em alguém próximo a nós. Peito tem a ver com nosso coração, com amor. Pernas e pés estão relacionadas com pisar no mundo, ou caminhar para nossa independência. Doenças urinárias e dos órgãos sexuais têm relação com a nossa conexão com o mundo, sexo e criatividade. Garganta e boca, nossa comunicação está bloqueada, é preciso dizer alguma coisa e nós não temos, ou estamos simplesmente suprimindo a nossa voz. Problemas de cabeça, enxaquecas, traumatismos cranianos, resfriados, têm a ver com a nossa conexão espiritual (eu superior / divino / Deus / Unidade).

Todas as aflições acima, provavelmente, terão algo a ver com medo. Outras coisas também podem nos bloquear, como por exemplo: condicionamento cultural, julgamento e a pressão da sociedade.

Para curar, temos que entender que o processo das doenças é uma liberação que vai resolver o problema que surgiu, em primeiro lugar. Nós entramos na dor, desconforto, ou área problemática, respiramos nela, relaxamos, expiramos, e deixamos que ela exista, em seguida, liberamos-la. Se limparmos nossas mentes, poderemos receber informação da área em questão a respeito do porquê estamos doentes, então nós podemos fazer algo sobre isso.

Observe e se torne consciente dos seus processos internos. Toda negatividade surge apenas para ser liberada. Se ela apareceu, é porque você já tem as condições e ferramentas necessárias para lidar com ela.

Nunca duvide da sua própria capacidade de cura e nem duvide de seus progressos. Tudo está bem, apenas se dê o tempo de que precisa para se ajustar.

Você também pode visualizar-se bem e saudável, feliz e realizado, fazendo algo que ama e se divertindo. Isso eleva nossa vibração rapidamente, e nos coloca em um estado de maior ressonância com a cura.

O seu corpo sempre será seu maior aliado no seu processo de ascensão espiritual e desenvolvimento pessoal. Conecte-se com ele e permita que ele lhe mostre o que precisa ser visto.

Sessões de cura energética também poderão auxiliar, uma vez que se amplia a capacidade de cura, agilizando esses processos de limpeza.

 

“A perfeita saúde de Deus permeia os sombrios recantos da minha doença física. A luz curativa de Deus brilha em todas as minhas células. Elas estão perfeitamente bem, pois nelas está a perfeição de Deus.”

Paramahansa Yogananda